Reino Unido estenderá apoio a empregos como parte de novo orçamento

O secretário do Tesouro do Reino Unido, Rishi Sunak / Foto: Governo britânico

São Paulo – O governo do Reino Unido ampliou o programa de proteção de empregos até setembro, entre outras medidas de apoio a empresas e famílias devido à pandemia de covid-19, segundo o ministro de Finanças britânico, Rishi Sunak, ao anunciar o orçamento de 2021 perante o Parlamento do país.

O programa de apoio aos empregos está em operação desde março de 2020 e tinha previsão de término no final de abril. Com a extensão, milhões de pessoas continuarão a ter 80% de seus salários pagos pelo governo, destacou Sunak. Ele também anunciou a ampliação de programas de apoio a autônomos até setembro.

Além disso, famílias de baixa renda receberão 20 libras esterlinas por semana por mais seis meses, além do fim do bloqueio, que será aliviado gradualmente de 8 de março até 21 de junho.

Com relação a empresas, o ministro anunciou 5 bilhões de libras esterlinas em novos subsídios, com até 6 mil libras para companhias de varejo não essenciais e até 18 mil libras para empresas do setor de hospitalidade e lazer. Sunak anunciou ainda o corte de 5 bilhões de libras em impostos sobre vendas no segmento de hospitalidade.

Segundo ele, ao anunciar o orçamento no ano passado todos pensavam que pandemia seria algo temporário, mas o país segue em bloqueio e a economia continua sendo afetada. “Muito mudou, mas uma coisa ficou igual, eu disse que faria o que for preciso, fiz e farei”, disse. “Este país e o mundo levarão tempo para se recuperar desta situação econômica extrema”, afirmou.

“Nossa resposta ao coronavírus está funcionando”, disse, citando o plano do governo e aliviar as restrições ao mesmo tempo em que protege as pessoas, e que mais de 20 milhões já foram vacinados no país.

Segundo projeções do Escritório de Responsabilidade Orçamentária (OBR, na sigla em inglês), a economia vai retornar aos níveis pré-pandemia na metade do ano que vem, seis meses antes do previsto em novembro.

O escritório prevê crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4% este ano, ante projeção anterior de alta de 5,5%. Para 2022, a economia deve crescer 7,3%, e em 2023 avançar 1,7%.

IMPOSTOS A EMPRESAS

Sunak disse que o próximo orçamento vai continuar apoiando empresas e, no caminho da recuperação, será preciso “começar a consertar as finanças públicas”, bem como construir a economia para o futuro, refletindo a importância da sustentabilidade ambiental.

Ele anunciou que vai congelar limites de imposto de renda a partir do próximo ano, e que a taxa de imposto corporativo aumentará de 19% para 25% a partir de 2023. Ao mesmo tempo, anunciou um grande incentivo fiscal para aumentar o investimento das empresas.

Segundo o ministro, a resposta fiscal do governo britânico, “ao mesmo tempo que ousada, é compatível com a responsabilidade fiscal e com um governo amigo das empresas”, e vai conduzir a recuperação da economia para fora da crise gerada pela pandemia.