Lagarde alerta sobre riscos de aumentos de juros de títulos

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde. Foto: Divulgação/ BCE

São Paulo – O avanço de juros de títulos de dívida pública desde o início do ano representa riscos e pode apertar prematuramente as condições financeiras, e por isso o Banco Central Europeu (BCE) vai acelerar o ritmo de compras de emergência, disse a presidente da instituição, Christine Lagarde.

“A preservação de condições favoráveis ​​de financiamento durante o período pandêmico continua essencial”, afirmou Lagarde, em coletiva de imprensa, citando que essas são definidas por um conjunto de indicadores, desde taxas de juros sem risco e juros soberanos até juros de títulos corporativos e condições de crédito bancário.

“As taxas de juros de mercado aumentaram desde o início do ano, o que representa um risco para condições de financiamento mais amplas”, disse Lagarde. “Se forem consideráveis ​​e persistentes, os aumentos dessas taxas de juros de mercado, quando não controlados, podem se traduzir em um aperto prematuro das condições de financiamento para todos os setores da economia”.

Segundo ela, isso seria “indesejável” uma vez que é preciso preservar condições de financiamento favoráveis ​​”para reduzir a incerteza e reforçar a confiança, apoiando assim a atividade econômica e salvaguardando a estabilidade de preços a médio prazo”.

Neste contexto, disse ela, o Conselho do BCE decidiu acelerar “significativamente” no próximo trimestre o ritmo de compras do programa de compra de emergência pandêmica (PEPP, na sigla em inglês) de US$ 1,850 trilhão de euros. O Conselho reiterou que o envelope pode não ser suado por completo, e que o programa pode ser recalibrado se necessário.

A decisão acontece em um momento no qual os juros dos títulos de dívida da eurozona estarem subindo desde fevereiro, quando os investidores começaram a vislumbrar uma
recuperação econômica mais rápida nos Estados Unidos.

Esse movimento gerou temores de que o aumento dos juros dos títulos públicos poderia prejudicar a recuperação econômica na Europa, aumentando os custos dos empréstimos para países que já lutam com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus.

No entanto, os mercados foram tranquilizados pela declaração do BCE de hoje, e os juros dos títulos caíram na eurozona. O compromisso do banco central com mais compras apoiará os preços dos títulos e, por sua vez, ajudará a manter os custos dos empréstimos mais baixos.

CURVA DE JUROS

Lagarde disse ainda que a autoridade monetária não irá interferir diretamente nos movimentos do mercado. “Não estamos fazendo controle da curva de juros”, disse. “O BCE também não olha para uma parte específica da curva de juros”, acrescentou.

A presidente do BCE fez questão de destacar que a decisão de manter as compras via PEPP inalteradas foi unânime neste encontro e lembrou ainda que esse ritmo mais acelerado de aquisições de ativos não deve ser visto de imediato.

“Não espere um grande aumento [das compras] na próxima segunda-feira, porque ainda há muitos resgates e estamos apenas começando hoje. O ritmo mais alto não será fortemente visível na segunda-feira”, disse.

Ela ressaltou ainda que o BCE não age mecanicamente e que também não trabalha com um número preestabelecido para as compras de títulos. Além do PEPP, o BCE também adquire 20 bilhões mensais em ativos e mantém operações direcionadas de refinanciamento de longo prazo (TLTROs, na sigla em inglês).