Siderúrgicas e Petrobras fazem Bolsa subir; dólar fecha em alta

São Paulo – O Ibovespa teve mais um dia de forte volatilidade, operando do todo pregão entre altas e baixas e seguindo a mesma performance das bolsas norte-americanas. Pela manhã e à tarde, o Ibovespa chegou a ultrapassar os 118 mil, mas não sustentou até o fechamento. O principal índice da B3 encerrou os negócios em alta de 0,10% aos 117.623,58 pontos, o que representa alta de 0,11% em relação à ontem. O índice Dow Jones fechou em alta de 0,05% e Nasdaq em queda de 0,07%.

A analista Simone Pasianotto, da Reag Investimentos, disse que o principal fator para o movimento de alta no Ibovespa foi o bom desempenho das ações das siderúrgicas e Petrobras.

Os papéis da Vale (VALE3) subiram 2,45%; Usiminas (USIM5) avançaram 1,41%, CSN (CSNA3) aceleraram 1,83%. As ações da Petrobras (PETR3 e PETR4) tiveram alta de 0,46% e no final do pregão apresentou queda 0,08% respectivamente. O avanço das siderúrgicas foi atribuído ao ganho do minério de ferro no exterior.

Outro fator positivo foi a divulgação da ata do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), o Ibovespa engatou alta, mas não perdurou por muito tempo.

Para a analista, a leitura do mercado em relação à ata do Fed foi positiva. “A autoridade monetária indicou que o Banco Central está um pouco longe de atingir as metas e que é necessário repensar as políticas para a retomada da economia, no entanto sinalizou que é importante repensar a política”, afirma.

Ela enfatizou que o movimento hoje da Bolsa seguiria a volatilidade até o fechamento, beirando a neutralidade. “O índice só mudaria se viesse alguma notícia em relação ao Orçamento”, enfatiza. O mercado continua atento aos desdobramentos da peça orçamentária devido ao temor do risco fiscal.

Segundo o analista José Costa Gonçalves, da Codepe Corretora, a boa noticia para o mercado foi que a IRB Brasil RE (IRBR3) comunicou que a Superintendência de Seguros Privados (Susep) terminou de fiscalizar a resseguradora. O IRB Brasil RE (IRBR3) teve alta expressiva de mais de 4% e fechou a 2,3%. “Apesar de um peso pequeno no Ibovespa, a notícia é muito favorável para o mercado interno”, afirmou

Outro ponto favorável foi o leilão de aeroportos, portos e ferrovias que começou nesta quarta-feira e vai até sexta feira (9). O leilão dos aeroportos realizado esta manhã se deu na Bolsa. Uma das empresas pertencentes ao grupo CCR venceu a disputa pelo bloco sul e central, oferecendo R$ 2,12 bilhões e R$ 754 milhões respectivamente. A Vinci Airports-empresa francesa- ofertou R$420 milhões pelo bloco norte e ganhou. “É um muito bom para o país porque demonstra interesses em bons negócios”, ressaltou.

Depois de operar em queda firme até o início da tarde, o dólar inverteu o sinal no final do dia e fechou em alta de 0,80%, cotado a R$ 5,6460 para venda, com os investidores reagindo à fragilidade do cenário local diante do imbróglio envolvendo o Orçamento de 2021 e o avanço implacável da pandemia.

Mais cedo, o dólar chegou a registrar mínimas abaixo de R$ 5,55 em relação à moeda brasileira, em movimento local em meio ao leilão realizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que concedeu 22 aeroportos das regiões Central, Norte e Sul do país. O governo federal arrecadou R$ 3,3 bilhões na operação.

“O cenário lá fora ajudou a taxa de câmbio pela manhã”, observou Vanei Nagem, responsável pela mesa de câmbio da Terra Investimentos.

Com o transcorrer da sessão, entretanto, a fragilidade do cenário local fez com que a moeda norte-americana passasse a subir antes de passar a operar perto da estabilidade. “A vacinação avança de um jeito muito atabalhoado, o fechamento em São Paulo tem muito impacto sobre a atividade econômica e a guerra de orçamento continua muito a flor da pele. Quando deu uma pioradinha lá fora, a taxa de câmbio acabou afetada”, explicou Nagem.

As taxas dos contratos de juros futuros (DIs) fecharam em alta, perto das máximas da sessão, acompanhando a apreciação do dólar em relação ao real, em um dia no qual a aversão ao risco refletiu-se principalmente nos títulos da dívida brasileira.

Com isso, o DI para janeiro de 2022 tinha taxa de 4,725%, de 4,660% no ajuste anterior; o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 6,665%, de 6,585%; o DI para janeiro de 2025 ia a 8,38%, de 8,26% antes; e o DI para janeiro de 2027 tinha taxa de 8,99%, de 8,88%, na mesma comparação.

Os principais índices de ações norte-americanos encerraram o dia mistos, com o S&P 500 em nova máxima, depois que a ata da reunião de política monetária do Fed reafirmou o compromisso com o apoio à economia e aos mercados.

Confira abaixo a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: +0,05%, 33.446,26 pontos

Nasdaq Composto: -0,07%, 13.688,80 pontos

S&P 500: +0,14%, 4.079,95 pontos