Minas e Energia diz que 80% da energia elétrica do Amapá foi restabelecida

140
Foto: Alain Schroeder/União Europeia

São Paulo – O Ministério das Minas e Energia informou que entrou em operação mais uma unidade geradora da UHE Coaracy Nunes, agregando 25 MW no fornecimento de energia para o Amapá e, com isso, aumentou em cerca de 10% o atendimento atual, chegando a 80%. A previsão é de que o serviço seja retomado completamente por volta da próxima segunda-feira, 16.

Segundo a pasta, o atendimento elétrico no Estado foi reestabelecido na madrugada do dia 7 de novembro, com a conclusão de reparos em um dos transformadores da Subestação Macapá (230/69 kV) que havia sido danificado com a explosão em outro transformador daquela subestação, em 3 de novembro, possibilitando a conexão da rede local ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

No domingo, dia 8, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) iniciou o sistema de rodízio do fornecimento de energia a partir da recomposição do transformador da subestação Isolux, que possibilitou a conexão com o Sistema Interligado Nacional (SIN) e pelo aumento de carga da Usina de Coaracy Nunes.

No dia 10, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) também anunciou um repasse R$ 21,5 milhões para apoiar o Amapá na locação de mais de 60 geradores e combustível, já de posse do estado, por um período de 45 dias, destinado ao atendimento de hospitais públicos e postos de saúde.

Segundo o MME, foi criado um comitê de crise em conjunto com organizações do setor elétrico brasileiro, do Governo Federal e do Governo do Estado do Amapá para determinar as causas e responsabilidades do incidente.

Na segunda-feira, dia 9, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou um cronograma com todas as etapas dos procedimentos previstos para apurar casos de grave perturbações no Sistema Interligado Nacional, como o que ocorreu no Amapá, que apontava que o processo pode demorar cerca de 40 dias e disse que estava atuando “para encurtar todos os prazos regimentais.”

Em 3 de novembro, uma explosão seguida de incêndio no transformador TR1 da subestação Macapá, operada pela Linhas de Macapá Transmissora de Energia, causou o blecaute na capital e outras cidades, com corte de cerca de 244 megawatt (MW), que representa cerca de 95% da carga do Estado, além de avaria de outro transformador.