Justiça condena Mendes Júnior a pagar R$ 380 mi

133

Por Allan Ravagnani

Divulgação: Polícia Federal

São Paulo – A construtora Mendes Junior Engenharia foi condenada pela 3 Vara Federal de Curitiba, junto de dois de seus executivos, Sérgio Cunha Mendes e Alberto Elísio Vilaça Gomes, ao pagamento de indenização de mais de R$ 380 milhões de multa no âmbito da operação Lava Jato.

A sentença de primeira instância – cabe recursos – reconheceu a participação da empresa e de seus executivos no pagamento de propina para o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

A propina paga variava de 1% a 3% do montante total de contratos, em licitações fraudulentas, e os valores eram distribuídos por meio de operadores financeiros do esquema, de 2004 a 2012, com pagamentos estendendo-se até 2014.

A interferência ocorreu em diversas obras, como Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), Refinaria de Paulínia (Replan), Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), Refinaria de Abreu e Lima (Rnest), Refinaria Henrique Lage (Revap) e Refinaria Gabriel Passos (Regap).