Juros negativos não seriam contraproducentes, diz membro de BC britânico

130
Foto: Freeimages.com/ Matt Lennon

São Paulo – O avanço de de casos de covid-19 deve levar o Banco da Inglaterra (BoE) a adotar novos estímulos, e o uso de juros negativos não seria contraproducente, disse o membro externo do Comitê de Política Monetária (MPC, na sigla em inglês), Gertjan Vlieghe.

“Na minha opinião, as perspectivas para a política monetárias estão inclinadas a adicionar mais estímulos”, disse ele, em texto preparado para discurso.

“Dado que a prevalência do vírus está aumentando novamente recentemente, é provável que pese mais sobre a atividade econômica. Na verdade, parece que as riscos de baixa para as perspectivas econômicas estão começando a se materializar”, afirmou.

Segundo ele, o MPC vem discutindo a possibilidade de novos cortes nas taxas de juros no futuro, para território negativo. O BoE cortou os juros de 0,25% para 0,1% em março, seu recorde de baixa, para apoiar a economia em meio à pandemia de covid-19.

“Minha opinião é que o risco de que taxas negativas acabem sendo contraproducentes para os objetivos monetários da política é baixa”, disse. “Uma vez que não foi testado no Reino Unido, há incertezas sobre esse julgamento, e o MPC não está em um ponto ainda em que possa chegar a uma conclusão sobre esta questão”, acrescentou.

“Mas dado o quão baixo, curto prazo e longo prazo as taxas de juros já estão, o espaço para a política monetária é limitado, e devemos considerar
formas de estendê-lo espaço livre”.