Irã enriquece urânio a 60% em meio a negociações nucleares lentas

Josep Borrell Fontelles, chefe de política externa da União Europeia (UE), com o ministro de Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif / Foto: UE

São Paulo – O Irã conseguiu atingir 60% de enriquecimento de urânio, em linha com os planos anunciados no início da semana, disse o presidente do Parlamento do país, Mohammad Bagher Ghalibaf, em meio a progressos lentos nas negociações sobre o acordo nuclear de 2015.

“Tenho o orgulho de anunciar (…) que os cientistas iranianos conseguiram produzir urânio enriquecido a 60%”, escreveu Ghalibaf no Twitter.

O Irã notificou a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) na terça-feira de sua intenção de começar a enriquecer urânio com até 60% de pureza. O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, disse que o país reserva o direito de tomar todas as medidas necessárias para proteger seus cidadãos após o incidente na instalação nuclear de Natanz.

O Irã disse na segunda-feira que sabotadores causaram um apagão na principal usina de enriquecimento nuclear do país. Autoridades israelenses se recusaram a responder aos relatos de que Israel estava por trás do alegado ataque a Natanz.

Teerã acusou os supostos culpados de tentar atrapalhar as negociações informais com os Estados Unidos sobre a retomada de um acordo nuclear de 2015, que poderiam abrir caminho para a reversão das sanções à República Islâmica. As negociações estão em andamento em Viena desde a semana passada.

O Irã e as cinco partes restantes do acordo nuclear de 2015 – Rússia, China, França, Reino Unido e Alemanha – convergiram em Viena na semana passada para negociar um roteiro para os Estados Unidos retornarem ao acordo, que o governo do ex-presidente Donald Trump abandonou em 2018.

Seu objetivo é encontrar uma maneira de o governo do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, suspender as sanções ao Irã se Teerã concordar em cumprir o pacto de 2015, que foi desenvolvido para restringir o crescimento da capacidade nuclear do Irã e impedi-lo de desenvolver tecnologia de armas nucleares.

O Irã intensificou suas atividades nucleares depois que os Estados Unidos deixaram o acordo, incluindo movimentos para enriquecer urânio com uma pureza maior do que o permitido pelo acordo. Natanz está no centro dos esforços do Irã e foi relançado no sábado após uma explosão e um incêndio devastadores no verão de 2020, que o Irã também atribuiu a sabotadores. O Irã realizou, no sábado, testes em uma nova geração de centrífugas.