França expande território de imposição de toque de recolher por covid-19

O primeiro-ministro francês, Jean Castex / Foto: Governo da França

São Paulo – O primeiro-ministro francês, Jean Castex, anunciou a extensão de medidas de toque de recolher para mais 38 departamentos administrativos da França, em uma nova tentativa de impedir a segunda onda de covid-19 que se alastra pelo país.

“A segunda onda está aqui” e “a situação é grave”, disse Castex em uma entrevista coletiva para anunciar as novas regras. “Claramente, as semanas que virão serão difíceis, nossos serviços hospitalares serão colocados à prova”.

As novas medidas devem entrar em vigor à meia-noite de sexta-feira e, segundo ele, devem afetar um total de 46 milhões de pessoas, ou dois terços da população francesa.

“A imposição ficará em vigor por seis semanas, sendo reavaliada a cada sete dias e podem ser reforçadas, se necessário”, afirmou ele.

“Se não conseguirmos deter a pandemia, enfrentaremos uma situação terrível e teremos que aplicar medidas muito mais duras”, disse Castex. “Ainda temos tempo para evitar isso, mas não muito”, acrescentou.

Um toque de recolher noturno das 21h às 6h entrou em vigor à meia-noite do último sábado em Paris e nos arredores, além de outras oito áreas metropolitanas – Aix-Marseille, Lyon, Saint-Étienne, Toulouse, Lille, Montpellier, Rouen e Grenoble – em resposta a novas infecções diárias atingindo níveis recordes.

Os residentes precisam fazer o download de um certificado para atividades permitidas após o expediente – como viajar para ou do trabalho, para atendimento médico, para visitar um parente dependente ou passear com o cachorro.

Outros países na Europa, como a Espanha, também consideram o toque de recolher, entre outras restrições, para conter a propagação do novo coronavírus. Na Alemanha, as medidas restritivas incluem fechamento de bares em cidades consideradas pontos críticos.