Versão de pacto federativo caminhará ao lado de reformas, diz Guedes

190
Entrevista coletiva do ministro da economia, Paulo Guedes. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília – O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em fala a jornalistas no Palácio do Planalto que a proposta de emenda à Constituição (PEC) em que constará o pacto federativo foi consolidada pelo relator Márcio Bittar (MDB-AC) a partir de três versões já existentes, mas não deu uma data para a leitura do relatório. Guedes disse ainda que Bittar está submetendo decisões do presidente da República, Jair Bolsonaro, ao texto.

O ministro deu aceno positivo ao Congresso em sua fala, reforçando que “temos um parlamento reformista” e reafirmando que a economia brasileira se recupera “em V”.

Segundo Guedes o pacto federativo é a “devolução dos orçamentos públicos para a classe política brasileira, que decide como é que o Brasil tá mais protegido. É muito mais importante a decisão política do que um dinheirinho carimbado”, disse.

“Eu dizia que o Brasil ia surpreender o mundo, que o nosso congresso estava ativo, trabalhando durante a pandemia. Então avançamos em várias reformas, saneamento, gás natural, estamos com uma agenda de setor elétrico, privatização de Correios”, relembrou Guedes.

Sobre a reforma tributária, que está em fase de debate no Congresso Nacional, o ministro disse que “vamos encaminhar também para a comissão mista, e administrativa já foi entregue. A principal mensagem que nós queremos deixar é que o Brasil tá voltando. O Congresso Brasileiro é reformista, o presidente tá dando apoio às reformas, já mandou administrativa, vamos mandar agora tributária para fazer o acoplamento com as duas que já estão na comissão mista de Câmara e Senado e o pacto federativo também tá entrando”.