Vacinação e taxa de juros baixa influenciam a Bolsa no segundo semestre

Foto: Pexels

São Paulo – A reabertura das empresas, com uma vacinação mais acelerada, e uma taxa de juros mais baixa impactam no mercado de renda variável ano segundo semestre. Anteriormente, a Bolsa era influenciada totalmente pelo mercado externo. A afirmação é de Davi Lelis, sócio da Valor Investimentos, em uma entrevista concedida

O sócio da Valor Investimentos comenta que “não dá para dizer se é mais o cenário externo ou interno que vai influenciar mais a Bolsa, depende do que se desenrolar daqui pra frente”, mas reforça que acompanhar a vacinação é um ponto crucial para verificar a reabertura econômica. “Temos de ver se as empresas vão reabrir a economia, vão começar a contratar novamente e contratar em níveis máximo”.

Ele cita um exemplo da importância das pessoas se vacinarem e o impacto na economia e nos investimentos. “Uma empresa que tem capacidade para 100 funcionários operando com 30% da capacidade dela, mostra que não está em seu nível máximo e não está no nível máximo de lucro também. “A vacinação vai influenciar diretamente isso, tanto a demanda que as pessoas vão ter como a contratação que as fábricas vão ter capacidade de produção”

Outro ponto favorável, segundo Lelis, é a taxa de juros mais baixa porque estimula a economia. “Incentiva as empresas e a produção”.

Mais alerta que o debate eleitoral antecipado também pode impactar a Bolsa e trazer muita volatilidade. As pesquisas recentes mostraram que eleição presidencial do próximo ano pode ser polarizada entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-mandatário, Luiz Inácio Lula da Silva.” Com decisões mais polarizadas, as pessoas tomam decisões mais voláteis, assumem ações mais voláteis e nos investimentos. Na Bolsa isso é muito claro”.