Usiminas investirá R$ 1,5 bilhão em 2021, 80% em siderurgia

213

São Paulo – O guidance de investimentos (capex) da Usiminas para 2021 será R$ 1,5 bilhão e R$ 1,2 bilhão para siderurgia. Metade dos recursos da área serão destinados à reforma do alto forno 3, na usina de Ipatinga, em Minas Gerais, e outros 50% para produção. Para 2022, o principal projeto ainda será a reforma do alto-forno 3, mas companhia disse que ainda não está abrindo valores.

“A primeira prioridade em 2021 é o capex, ou seja, ter segurança de que a geração de caixa será suficiente e adequada para financiar nossos projetos”, disse Sérgio Leite, presidente da Usiminas, em teleconferência para investidores.

Em 2020, o capex atingiu R$ 799 milhões e ficou em linha com o guidance divulgado pela companhia.

No quarto trimestre, o capital de giro caiu 4% em relação ao trimestre anterior, com aumento de estoques, de 8%, devido ao aumento da produção. O estoque ficou abaixo de 40 dias no trimestre.

A posição de caixa e endividamento aumentaram 30%, para R$ 4,9 bilhões em caixa e a alavancagem caiu para 0,3 vez em relação ao trimestre anterior.

Em 2021, a Usiminas prevê finalizar a implementação de projeto de filtragem e empilhamento de rejeitos em mineração. A companhia iniciou a migração da disposição de rejeito para filtragem em descaracterização da barragem central no primeiro trimestre de 2022 e também está prevista a parada da barragem Samambaia para um design a jusante, disse Alberto Akikazu Ono, diretor financeiro da Usiminas.

Em relação aos estoques de aço, a companhia espera normalização nos próximos meses, após níveis mínimos no final de 2020.

“O nível de estoque da cadeia automotiva estava em dez dias em janeiro, a níveis que nunca tínhamos visto. Acreditamos que em fevereiro e março haja uma normalização para operar perto do normal. As expectativas são positivas. A Anfavea e a Abimaq anunciaram boas projeção de crescimento e o setor de construção deve continuar forte, então, nossa visão também é positiva, mas isso vai depender da demanda dos segmentos”, disse Miguel Angel Homes Camejo, diretor vice-presidente comercial.

A companhia disse que o preço médio do aço em dezembro ficou 4,5% acima do quarto trimestre e que também já implementou ajustes que impactarão o preço dos próximos meses.

Em produção, a companhia disse que está retomando a produção do alto-forno de Ipatinga (MG) e que está operando em capacidade total em Cubatão (SP).

“As expectativas de retomada da produção são muito positivas, esperamos um aumento de 100% do consumo de aço no mercado interno, devido às estimativa de crescimento do PIB e de andamento das reformas, das projeções anunciadas por IABr, Anfavea, Abimaq e pelos setores agrícola e de construção”, disse Camejo.

Em chapas grossas, a companhia disse que a demanda dos segmentos de máquinas e equipamentos e energia eólica têm permitido aumentar em 50% a utilização da linha de Ipatinga. Já infraestrutura e óleo e gás, a demanda ainda está fraca.

Em relação à mineração, a companhia está ajustando expectativas devido a previsão de extensão de prazo de obtenção de licenças ambientais, para 2022, acima do previsto, que seria neste ano.

Em relação aos resultados de 2020, o diretor financeiro da companhia disse que a variação do lucro líquido no quarto trimestre, de quase dez vezes, teve impacto da variação cambial e de impairment, mas que ainda assim foi um resultado bastante expressivo se desconsiderados esses efeitos.

A unidade de mineração teve ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) e margens elevados por impacto de aumento de preços e vendas e em todo o ano de 2020, a companhia teve ebitda recorde em mineração e soluções Usiminas.

O ebitda de 2020 também teve um resultado não recorrente de R$ 151 milhões, obtidos com a venda de imóveis da companhia.

“A venda da nossa sede em Belo Horizonte, para nossa Fundação São Francisco Xavier, teve significados importantes para a companhia, como a redução do imobilizado e a mudança para uma nova sede, em que fizemos uma redução de 50% de área útil. Vamos ocupar 300 mil metros quadrados, 1/6 da área que ocupávamos na sede de Belo Horizonte e construir um hospital, que será mais um hospital da companhia. Os nossos hospitais são referência em Minas Gerais”, disse o presidente da Usiminas.

A companhia disse que, em junho do ano passado, criou uma gerência de sustentabilidade, e que a agenda ambiental, social e de governança (ESG, na sigla em inglês) está cada vez mais presente em suas ações. Em 2020, uma das metas nessa área será ter 10% de mulheres na área industrial.