Trump declara emergência em Washington antes de posse de Biden

148
O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, e sua vice na chapa, Kamala Harris / Foto: Campanha Joe Biden

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, decretou estado de emergência em Washington D.C. antes da posse do presidente eleito Joe Biden, enquanto as agências de segurança reforçam seus preparativos para o evento, no dia 20 de janeiro, depois da invasão ao Capitólio na semana passada.

“O presidente Donald Trump declarou que existe uma emergência no Distrito de Columbia e ordenou a assistência federal para complementar os esforços de resposta do distrito devido às condições de emergência resultantes da 59 posse presidencial de 11 de janeiro a 24 de janeiro de 2021”, segundo a Casa Branca, em comunicado.

A prefeita de Washington, Muriel Bowser, havia pedido às autoridades federais que suspendam todas as autorizações para encontros públicos na capital norte-americana até o próximo dia 24 .

Ontem, o Federal Bureau of Investigation (FBI, o equivalente à Polícia Federal do Brasil) disse que está fornecendo apoio às agências de segurança estaduais, municipais e federais diante de possíveis protestos armados que podem ocorrer nos Estados Unidos.

O secretário interino de Segurança Interna, Chad Wolf, disse ontem, antes de pedir demissão, que o Serviço Secreto iniciará as operações da posse na quarta-feira, dia 13 de janeiro, seis dias antes do previsto anteriormente, “à luz dos eventos da semana passada e da evolução do cenário de segurança”.

O Pentágono também autorizou o envio de cerca de 15 mil soldados da Guarda Nacional para garantir a segurança na cerimônia de posse.

Biden disse ontem a repórteres que não tem medo de fazer o juramento do lado de fora, e pediu a responsabilização dos que causaram danos no Capitólio. Trump já havia anunciado que não comparecerá à cerimônia.

Na semana passada, um verdadeiro caos se instalou nos Estados Unidos depois que manifestantes tomaram o Capitólio após Trump pedir que as pessoas agissem contra a confirmação da vitória do democrata Joe Biden nas eleições de 3 de novembro. Ao todo, quatro pessoas morreram e 68 foram presas.

Os democratas da Câmara dos Deputados apresentaram ontem os artigos de impeachment que acusam Trump de crimes e contravenções por desencadear uma insurreição e interromper a transferência pacífica do poder no país. Os democratas se preparam para votar hoje à noite uma resolução determina que o vice-presidente do país, Mike Pence, remova Trump do cargo.