Superávit comercial de 2019 é o menor desde 2015

305

São Paulo – O superávit comercial brasileiro no ano passado somou US$ 46,7 bilhões, o menor resultado desde 2015, quando a balança comercial teve saldo positivo de US$ 19,5 bilhões, segundo dados divulgados pelo Ministério da Economia.

O resultado foi influenciado principalmente pelo desempenho das exportações, que encolheram 6,4% em 2019 na comparação com o ano anterior, a US$ 224,0 bilhões. O recuo foi mais acentuado que o observado nas importações, que caíram 2,1%, para US$ 177,3 bilhões.

A China continuou sendo o principal mercado para os produtos brasileiros, embora a receita obtida com as vendas ao país asiático tenha caído 0,6% em 2019 na comparação com o ano anterior, para US$ 92,611 bilhões.

A União Europeia aparece em segundo lugar, com US$ 35,636 bilhões, mas com uma redução de 15,4% em relação a 2018, enquanto os Estados Unidos ficaram com a terceira posição, comprando o equivalente a US$ 29,556 bilhões em produtos do Brasil – alta de 3% na mesma comparação.

Os principais produtos exportados pelo Brasil em 2019 foram soja (queda de 20,4% ante 2018), petróleo (-6,0%) e minério de ferro (+9,7%), entre os produtos básicos; celulose (-9,3%), açúcar (-16,1%) e semimanufaturados de ferro e aço (-16,9%), entre os intermediários, e automóveis (-26,6%), aviões (-4,7%) e óleos combustíveis, entre os bens industriais (+8,3%).

As importações brasileiras por sua vez, também vieram principalmente da China (US$ 35,881 bilhões; +1,18%), da União Europeia (US$ 33,351 bilhões; -4,1%) e dos Estados Unidos (US$ 30,086 bilhões; +3,85%).