Soma de parcelas extras de auxílio emergencial será de R$ 1.200, diz Bolsonaro

275
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante reunião com o presidente dos EUA, Donald Trump, no Salão Oval da Casa Branca, em Washington (EUA). (Foto: Alan Santos/Presidência da República)

São Paulo – O governo federal vai ampliar o auxílio emergencial em R$ 1.200, mas deve parcelar o dinheiro extra, afirmou o presidente Jair Bolsonaro durante uma transmissão feita ontem em suas redes sociais. Ele sinalizou que os pagamentos adicionais podem vir em três parcelas de valores distintos – R$ 500, R$ 400 e R$ 300 -, mas que não há decisão sobre isso ainda.

No momento, o auxílio emergencial prevê três pagamentos de R$ 600 – ou de R$ 1.200, em casos específicos – para trabalhadores informais, microempreendedores individuais ou desempregados com renda de familiar de até R$ 3.135 mensais ou com renda familiar por pessoa de R$ 522,50. O Ministério da Economia estimou em R$ 123,9 bilhões as despesas com o programa.

Bolsonaro vinha sinalizando há algumas semanas que poderia ampliar os pagamentos, e até então falava de mais duas parcelas adicionais, porém em valores menores do que o atual.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA (g.nicoletta@cma.com.br)