Regulador da UE diz que benefícios de vacina da AstraZeneca superam riscos

Sede da Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) , em Amsterdã / Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – A Agência Europeia de Medicamentos (EMA, na sigla em inglês) está firmemente convencida de que os benefícios do uso da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford superam os riscos.

“Continuamos firmemente convencidos de que os benefícios da vacina AstraZeneca na prevenção de covid-19 com o risco associado de hospitalização e morte superam os riscos de efeitos colaterais”, disse a diretora executiva da EMA, Emer Cooke, em coletiva de imprensa.

Mais de 10 países da União Europeia (UE), incluindo Alemanha, França e Itália, suspenderam o uso de vacinas da AstraZeneca após cerca de 30 casos de formação de coágulos sanguíneos em pacientes imunizados, além de uma morte por trombose. A vacina já foi aplicada em cerca de 17 milhões de pessoas na UE e no Reino Unido.

Na coletiva, Cooke reiterou que o comitê de segurança da agência realiza uma análise rigorosa sobre os relatos de efeitos colaterais, com especialistas de todos os países da UE e de parceiros internacionais em coagulação e eventos tromboembólicos, e apresentará os resultados da revisão na próxima quinta-feira.

“Nossa prioridade é garantir a segurança da vacina”, disse. Segundo Cooke, “uma situação como essa não é inesperada”, e quando milhares de pessoas são vacinadas, é inevitável que ocorram incidentes após as injeções.

“Não há indícios de que as vacinações causaram esta condições”, que não apareceram nos testes clínicos, e não parecem maiores do que na população em geral, acrescentou.

Ela reiterou que a pandemia de covid-19 é uma crise global que “continua a ser um grande fardo no sistema de saúde da UE”, e que vacinas ajudam a proteger as pessoas de ficarem doentes, uma consideração importante na análise entre benefícios e riscos.