Merkel descarta afrouxar restrições com avanço de casos de covid-19

198

São Paulo – A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, descartou afrouxar as medidas de restrição em vigor para conter a propagação do novo coronavírus devido ao avanço recente de infecções no país. Ao todo, os casos na Alemanha ultrapassaram 225 mil.

“Nas últimas três semanas, o número de casos do novo coronavírus na Alemanha dobrou”, de acordo com Merkel, em uma coletiva de imprensa conjunta com o líder do estado alemão da Renânia do Norte-Vestefália, Armin Laschet. “Estamos no meio da pandemia”, disse a chanceler.

“O vírus está lá, mesmo que não seja visível”, afirmou. “Um maior relaxamento das restrições, portanto, só poderia ser concedido se o número de casos diminuísse novamente”, acrescentou.

Segundo ela, as prioridades são manter a vida econômica e garantir empregos e manter escolas e creches, tanto quanto possível. Merkel também apelou à população para que cumpra as regras. “Todos podem fazer sua parte”, disse.

“Quem regressar de uma zona de risco deve estar em quarentena – a não ser que o teste seja negativo”. Ela ressaltou que o teste é obrigatório, assim como o uso de máscaras e manter distância ao fazer compras e no transporte público local. Por fim, a chanceler anunciou um pacto federal-estadual para fortalecer o serviço público de saúde.

O número de casos do novo coronavírus na Alemanha subiu em 1.390 em um dia, para 225.404, de acordo com dados do Instituto Robert Koch, agência responsável pelo controle e prevenção de doenças no país. As mortes somam 9.236, alta de quatro em 24 horas.