Lucro da Ultrapar cai 10,9% no terceiro trimestre, a R$ 265,4 milhões

O volume de vendas da Ipiranga foi 20% maior que o do segundo trimestre e refletiu a recuperação gradual ao longo dos meses

153
Foto divulgação: Grupo Ultra

São Paulo – O lucro líquido da Ultrapar diminuiu 10,9% no terceiro trimestre, para R$ 265,4 milhões, enquanto a receita líquida encolheu 10,5%, para R$ 20,76 bilhões.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 4,3%, para R$ 921,9 milhões. Em termos ajustados, que removem da conta a amortização de ativos de contratos com clientes e o resultado de operações de hedge referentes à dívida da empresa, o ebitda aumentou 6,0%, para R$ 1,038 bilhão.

Por segmento de negócio, o volume total de vendas da Ipiranga encolheu 10,6%, para 5,53 milhões de metros cúbicos. A venda de óleo diesel caiu 5,3%, para 3 milhões de metros cúbicos, enquanto a venda de combustíveis do chamado ciclo otto – gasolina e etanol – diminuiu 16,6%, para 2,42 milhões de metros cúbicos.

“Apesar da queda em relação ao ano anterior, o volume foi 20% maior que o do segundo trimestre, com crescimento de 24% no ciclo Otto e 16% no diesel, fruto da recuperação gradual ao longo dos meses”, disse a Ultrapar em comunicado.

No terceiro trimestre, a Ultragaz vendeu 453 mil toneladas, queda de 1,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. A venda de produto envasado caiu 1,9%, para 309 mil toneladas, enquanto a venda a granel cresceu 0,7%, para 144 mil toneladas.

Na Ultracargo, a capacidade estática média cresceu 11,3%, para 838 mil metros cúbicos, enquanto o total de metros cúbicos faturados subiu 14,4%, para 3,06 milhões. Na Oxiteno o volume total de vendas cresceu 3,6%, para 202 mil toneladas – sendo 143 mil no Brasil -, e na Extrafarma a receita bruta diminuiu 3,3% no terceiro trimestre, para R$ 523 milhões.

A dívida líquida da companhia aumentou 5,8%, para R$ 10,79 bilhões, o que coloca a taxa de alavancagem – proporção da dívida em relação ao ebitda ajustado – em 3,1 vezes.