Longe de metas, economia dos EUA precisa de estímulos, diz Williams

O presidente da unidade do Federal Reserve de Nova York, John Williams / Foto: Fed de Nova York

São Paulo – O presidente do Federal Reserve (Fed) de Nova York, John Williams, disse que a economia dos Estados Unidos segue longe das metas de pleno emprego e estabilidade de preços, demandando a acomodação fornecida pelo banco central norte-americano.

“A economia melhorou e acho que está em uma boa trajetória. Mas, na minha opinião, ainda estamos muito longe de alcançar o progresso substancial que estamos procurando”, disse ele em entrevista ao Yahoo Finance.

Desde março do ano passado, o Fed mantém a taxa de juros próxima de zero e conduz compras de ativos para ajudar a economia dos Estados Unidos a atravessar a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Essas aquisições somam US$ 120 bilhões ao mês e serão reduzidas gradualmente assim que o banco central vir progressos substanciais na direção de seu mandato duplo.

“Não estamos próximos do marcador de progresso substancial”, afirmou Williams.

Na visão do chefe do Fed de Nova York, a política monetária está bem posicionada. “Sempre precisamos analisar onde estamos na economia, onde está estamos em relação às metas de pleno emprego e estabilidade de preços e, realmente, como colocamos a política monetária bem posicionada para atingir essas metas”, afirmou.

Em linha com a política do banco central norte-americano, Williams disse que qualquer mudança de rumos será sinalizada com antecedência. Em declarações anteriores, o presidente do Fed, Jerome Powell, já indicou que não quer pegar o público de surpresa ou provocar sobressaltos no mercado com qualquer possível mudança na condução da política monetária.

“Temos que pensar no futuro, planejar com antecedência e, portanto, acho que faz sentido pensarmos sobre várias opções que podemos ter no futuro”, disse Williams. “Só não acho que seja o momento de tomar qualquer atitude”, acrescentou.

O presidente do Fed e Dallas, Robert Kaplan, tem sido o principal defensor do início das discussões da retirada gradual da acomodação via compra de ativos. Mais recentemente, outros membros do banco central também começaram a sinalizar que o Fed deve pensar no assunto, entre eles, a diretora Lael Brainard e o chefe da unidade da Filadélfia, Patrick Harker.