Julgamento sobre suspeição de Moro é suspenso após pedido de vista

Brasília – O julgamento da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a suspeição ou não do ex-juiz Sérgio Moro nos processos da Lava Jato relacionados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi suspenso após pedido de vista do ministro Nunes Marques. Até o momento o placar do colegiado está em dois (Mendes e Lewandowski) votos pela suspeição do ex-magistrado e um (Fachin) contrários ao pedido da defesa.

Marques disse que após o voto detalhado do ministro Gilmar Mendes viu-se compelido a analisar melhor o processo. A ministra Cármen Lúcia também afirmou que votaria após o voto-vista do ministro. Com isso e de acordo com o placar, seria impossível atingir maioria no julgamento de hoje.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defende a tese de que a suspeição do ex-juiz Sergio Moro referente a Lula surgiu desde o início dos processos e, portanto, o “marco inicial da nulidade” deveria ser a fase investigativa embrionária.

Em sua argumentação, Gilmar Mendes definiu que as ações do ex-juiz eram parte de um “poder político cuja tônica sentava-se na instrumentalização do processo penal, na deturpação dos valores da Justiça e na elevação mítica de um juízo serviente a um ideal feroz de violência as garantias constitucionais do contraditório da ampla defesa da presunção de Inocência e principalmente da dignidade da pessoa humana”.

O ministro Lewandowski definiu como “espantosa” a troca de mensagens divulgada pela imprensa entre o ex-juiz e procuradores.