Illan Goldfajn, ex-presidente do BC do Brasil, assumirá como diretor no FMI

916
Visão interna do prédio da sede do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Washington D.C. / Foto: União Europeia (UE)

Buenos Aires – O Fundo Monetário Internacional (FMI) nomeou o ex-presidente do Banco Central brasileiro, Illan Goldfajn, para assumir o cargo de diretor do departamento do Hemisfério Ocidental a partir de janeiro de 2022, substituindo Alejandro Werner, que se aposentou em agosto passado, após oito anos no cargo.
É a segunda vez que Goldfajn trabalha para o FMI, pois entre 1996 e 1999 foi economista do organismo internacional. Posteriormente, entre 2000 e 2003 ocupou o cargo de diretor de política econômica do Banco Central do Brasil e entre maio de 2016 e fevereiro de 2019 assumiu a presidência do Banco.
Goldfajn assumirá como chefe do departamento do FMI encarregado das relações com os países membros nas Américas.
“Estou muito satisfeito que Ilan se junte à nossa equipe”, disse a diretora-gerente do FMI, Georgieva Kristalina, em comunicado. “Ele tem uma experiência impressionante nos setores público e privado e é altamente respeitado como acadêmico”, afirmou ela.
“Seu histórico comprovado como formulador de políticas, comunicador, bem como seu profundo conhecimento como executivo financeiro internacional e sua familiaridade com o trabalho do Fundo serão inestimáveis para ajudar nossos países membros na região”.
Como diretor do departamento do Hemisfério Ocidental, Goldfajn será o encarregado de continuar as negociações com a Argentina para conseguir um novo acordo que reestrutura a dívida contraída em 2018.
Tradução: Julio Viana