Capacidade de produção de minério da Vale em 2022 será menor que o previsto

Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, Minas Gerais. Foto: Agência Vale

São Paulo – A Vale afirmou que a produção de minério de ferro no seu Sistema Norte deve ter um “ramp up” mais suave do que o planejado anteriormente devido a questões como atrasos nas licenças necessárias na Serra Norte para sustentar o nível de produção. Com isso, a mineradora deve chegar a uma capacidade de produção de 205 milhões de toneladas na região ao fim de 2022, ante previsão anterior de 230 milhões de toneladas.

Diante da revisão para baixo no Sistema Norte, a Vale prevê atingir uma capacidade de produção total de produção de minério de 370 milhões de toneladas ao fim de 2022, atingindo a capacidade de 400 milhões apenas no médio prazo e de 400 a 450 milhões no longo prazo. As informações constam em apresentação da Vale publicada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e feita para investidores na última quinta-feira (9).

No médio prazo, o Sistema Norte deve atingir capacidade de 215 milhões de toneladas e de 240 a 260 milhões no longo prazo.

Além de atrasos nas licenças necessárias na Serra Norte, a empresa citou atrasos em diferentes frentes de lavras no local, como na N3 e NI/N2. O “start-up” da N3 é esperado para 2023, enquanto o da N1/N2 em 2026.

Ainda no Sistema Norte, a mineradora ainda afirmou a necessidade de conversão da Usina 1 para o processamento a seco para atingir a capacidade plena de 10 milhões de toneladas no projeto Gelado, o que deve ocorrer 2025. A Vale também disse que é necessário um novo britador de jaspilito para processar blocos de estéril compacto maiores no S11D, além dos quatro britadores que já possui.

2021

Até o fim deste ano, a Vale já tinha afirmado que deve chegar a capacidade produtiva de 343 milhões de toneladas de minério de ferro. Em teleconferência dos resultados do segundo trimestre, em 29 de julho, a companhia mostrou otimismo com o segundo semestre.