Ibovespa fecha em alta antes de eleições para comando do Congresso

Foto: Wagner Magni / freeimages.com

São Paulo – O Ibovespa iniciou fevereiro em forte alta, acompanhando o exterior positivo em meio à recuperação do apetite por risco nos mercados financeiros internacionais em um momento no qual investidores retornaram ao mercado depois das quedas recentes e de um aparente arrefecimento na crise entre Reino Unido e União Europeia por causa das vacinas da AstraZeneca.

Na parte da tarde, o avanço da bolsa brasileira acabou acelerado pelo cenário político local. Os investidores estão de olho nos sinais de que o presidente Jair Bolsonaro deve conseguir emplacar aliados nas presidências da Câmara e do Senado, evitando assim o risco de passar por um processo de impeachment em um momento no qual a condução negacionista da pandemia abala a imagem do governo. O resultado só será conhecido bem depois do fechamento dos mercados. Ainda assim, o Ibovespa encerrou o dia em alta de 2,12%, aos 117.517,57 pontos.

O dólar comercial, por sua vez, fechou em queda de 0,51% no mercado à vista, cotado a R$ 5,4480 para venda, interrompendo a sequência de três altas seguidas, acompanhando o exterior mais positivo para os ativos globais em meio à busca por risco no primeiro pregão de fevereiro. Aqui, o mercado calibrou ruídos políticos enquanto aguarda a eleição dos novos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado.

O analista de câmbio da Correparti, Ricardo Gomes Filho, destaca que uma “forte onda” de otimismo prevaleceu aqui e no exterior, principalmente, no mercado acionário “dando contorno” à sessão. “O dólar acabou cedendo ao otimismo instalado nos mercados. No exterior, o bom humor veio após a notícia de ampliação da produção da vacina pela AstraZeneca à União Europeia”, comenta.

Já as taxas dos contratos de juros futuros (DIs) encerraram o dia com leves oscilações e sem um rumo único, após uma sessão de intensa volatilidade, em meio à expectativa pelas eleições para as presidências da Câmara e do Senado. Após iniciarem o pregão com ligeiras baixas e apagarem a trajetória inicial, os vértices mais curtos firmaram-se em alta e sustentaram os prêmios até o final do pregão, com a perspectiva de que o Banco Central deve elevar a Selic em breve reduzindo o espaço para quedas adicionais deste trecho. Já os vencimentos mais longos ficaram próximos aos ajustes, monitorando o apetite por risco no exterior e também as perdas ensaiadas pelo dólar.

Os principais índices de ações dos Estados Unidos terminaram o dia em alta, recuperando algum terreno após a pior semana de Wall Street desde outubro, com os pequenos investidores voltando seus olhos para o mercado de prata.

Confira abaixo a variação e a pontuação dos principais índices de ações dos Estados Unidos no fechamento:

Dow Jones: +0,76%, 30.211,91 pontos
Nasdaq Composto: +2,55%, 13.403,40 pontos
S&P 500: +1,60%, 3.773,86 pontos