Grupo Soma paga R$5,139 bi pela Hering;sinergia será de R$200mi

Foto divulgação: Hering

São Paulo –  O Grupo de Moda Soma, dono de marcas como Farm e Animale, pagará um total de R$ 5,139 bilhões pela Hering, em um acordo de combinação de negócios, no qual a Hering será incorporada pelo grupo, mas terá autonomia operacional. Do valor total a ser pago, R$ 3,64 bilhões são em ações do Grupo Soma e R$ 1,5 bilhão em caixa, em uma parcela que será paga dentro de dez dias úteis.

O montante em ações considera o valor de R$ 33,00 por ação da Hering, em uma relação de troca de 1,625107 ação ordinária de emissão do Grupo Soma para cada ação da Hering.

A união dos negócios das duas companhias resultará em uma rede varejista de mais de mil lojas e de R$ 3 bilhões de receita bruta por ano, no qual o Grupo Soma deterá 65,8% e a Hering 34,4%, sendo 7,6% da família Hering.

O atual presidente da Hering, Fabio Hering, será o presidente do conselho de administração do grupo, enquanto o seu filho, Thiago Hering, que já tinha sido eleito pelo executivo como o seu sucessor, será o presidente da Hering.

Recentemente, a Arezzo fez uma proposta pela Hering, que foi recusada pela empresa. O Grupo Soma abriu o capital em julho do ano passado, em uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), que levantou R$ 1,82 bilhão.

A perspectiva é que ambas as empresas convoquem assembleias para a aprovação da operação em até um mês, que devem ocorrer provavelmente entre o final de junho e começo de julho. Os diretores do grupo afirmaram que acreditam que outras aprovações que ainda faltarão, como a da Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), não devem trazer problemas.

O acordo contém compromisso de exclusividade e, caso a Hering não cumpra o compromisso, terá de pagar uma multa de R$ 250 milhões. Outro compromisso assumido prevê o voto favorável em assembleia, de determinados acionistas da Hering e do grupo Soma, para a aprovação da operação.

A operação dará direito de recesso aos acionistas dissidentes da Hering. Os detalhes sobre o exercício do direito de recesso e o valor do reembolso ainda não foram informados.

SINERGIAS

O Grupo Soma prevê sinergias em torno de R$ 200 milhões nos próximos dois anos a três anos com a operação. O diretor-presidente do Grupo Soma, Roberto Jatahy, destacou em teleconferência com os sócios e executivos das companhia, que a Hering tem um parque industrial diferenciado, que irá ajudar todas as marcas do grupo e gerar valor.

Além disso, citou outras possíveis sinergias como em otimização de estoques, capilaridade de lojas físicas, e-commerce, experiência da Hering com franquias e colaboração entre marcas por meio de lançamentos de coleções em conjunto.

“Temos a possibilidade de criar novas categorias de produtos, a Hering também nos traz uma capilaridade extremamente estratégica, que é impressionante, e a partir dessa capilaridade isso nos traz uma série de ideias e projetos. Estamos conversando, ideias borbulham de todos os lados e vamos capturá-las com sensatez”, disse.

Ele ainda afirmou que a Hering tem 8 milhões de clientes em sua base e que há chance de monetizá-la, além de poder ajudar a empresa no processo de transformação digital que vinha passando.

Fabio Hering revelou que já conhecia os sócios do grupo e que eles já vinham conversando desde 2013, se mostrando satisfeito em ser o presidente do conselho do que considera que “está se tornando a maior plataforma de marcas de moda do Brasil”.

Os papéis da Hering (HGTX3) dispararam com a notícia, chegando a subir mais de 30% perto da abertura do pregão e fechando em alta de 26,01%, a R$ 28,58, depois de terem fechado a R$ 22,68 no pregão anterior. Já as ações do Grupo Soma (SOMA3) encerraram em queda de 10,14%, a R$ 12,67, depois de terem fechado a R$ 14,10 na sessão anterior.