Grupo do governo revisará regulação do setor nuclear

716

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – O governo criou um grupo técnico cujo objetivo será apresentar propostas de diretrizes e metas para dinamizar a área regulatória do setor nuclear brasileiro, segundo resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU). O grupo terá duração de 180 dias corridos e este prazo pode ser dobrado se for necessário para a conclusão dos trabalhos.

Segundo o DOU, os trabalhos serão feitos por representantes dos ministérios de Minas e Energia, Ciência, Meio Ambiente e do Gabinete de Segurança Institucional.

Também farão parte dos esforços o Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo, da Receita Federal, a Comissão Nacional de Energia Nuclear, a Eletrobras/Eletronuclear, as Indústrias Nucleares do Brasil, o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e as agências nacionais de Vigilância Sanitária, Saúde Suplementar, Mineração e Naval de Segurança Nuclear e Qualidade.

Na semana passada, o governo disse que planeja construir mais seis reatores nucleares daqui até 2050 e espera que ao longo dos próximos 10 anos entre em operação a usina nuclear Angra 3.

A operação comercial da usina nuclear de Angra 3 está prevista para 2026 e deve acrescentar 1,395 gigawatt (GW) à geração de energia nuclear, que hoje é de 2 GW com as usinas de Angra 1 e 2. Os outros seis reatores seriam construídos na região Nordeste e exigiram um investimento de US$ 30 bilhões.