Fitch piora previsão de recessão global para 4,6% em 2020

397
Foto: www.solvencyiiwire.com

São Paulo – A agência de classificação de risco Fitch Rating piorou sua previsão para o Produto Interno Bruto (PIB) global, que deve cair 4,6% este ano ante previsão de declínio de 3,9% feita em abril.

“Isso reflete revisões em baixa na zona do euro e no Reino Unido e, mais significativamente, nos mercados emergentes, excluindo China “, disse o economista-chefe da Fitch Ratings, Brian Coulton.

A Fitch agora espera que o PIB da zona do euro caia 8,2% em 2020, em comparação com uma contração de 7,0% no relatório anterior. A piora na previsão reflete os dados que apontam para quedas mais profundas do que o esperado na atividade na França, Itália e Espanha em meio a bloqueios mais rigorosos do que em outros países.

Para a Espanha, a projeção é de que este ano o PIB caia 9,6% comparado ao declínio de 7,5% do final de abril), enquanto a Itália deve encolher 9,5% na Itália ante previsão de retração de 8,0% e o PIB da França deve cair 9,0% ante queda de 7,0%.

O bloqueio no Reino Unido também parece durar mais tempo do que se supunha anteriormente, por isso, a Fitch passou a prever que a economia britânica encolha 7,8% este ano em comparação com uma retração revista de 6,3% antes.

EMERGENTES

Para os mercados emergentes, excluindo a China, a Fitch espera que haja uma retração de 4,5% este ano em comparação com uma queda prevista de 1,9% no relatório de abril.
Segundo a agência, essa grande revisão reflete a deterioração da crise da saúde em muitos dos maiores em relação ao quadro do mês passado, especialmente no Brasil, na Índia e na Rússia.

Neste caso, o maior corte de previsão foi para a Índia, onde agora a Fitch espera um declínio de 5,0% no atual exercício financeiro – encerrado em março de 2021 -, em contraste com uma previsão anterior de crescimento de 0,8%.

No caso da China, a previsão permaneceu inalterada desde o final de abril em crescimento de 0,7%, enquanto para a Rússia passou de contração de 3,3% para retração de 5,0% este ano.

Para o Brasil, a previsão é de queda de 6,0% para PIB este ano ante previsão de declínio de 4,0% feita em abril.

SEGUNDA ONDA

Uma segunda onda do novo coronavírus no mundo pode fazer com que o Produto Interno Bruto (PIB) global caia 9,0% este ano, de acordo com a agência.

A projeção acontece em um momento no qual muitos países na Ásia, na Europa e alguns estados norte-americanos iniciam um processo gradual de afrouxamento das medidas de restrição adotadas para conter a disseminação da covid-19.

Para a Fitch, um ressurgimento agressivo do vírus que exija bloqueios extensos ou renovados levaria a um resultado ainda pior do que o atual. Enquanto o mundo deve encolher 9,0% com uma nova onda de covid-19, Estados Unidos e Europa deve enfrentar uma retração de 12,0% este ano.

No entanto, na ausência de uma segunda onda do novo coronavírus, a economia global deve se recuperar em 2021, com crescimento de 5,1%.

“Prevemos uma recuperação ‘técnica’ do crescimento do PIB global para 5,1% em 2021 – com a Estados Unidos e da zona do euro expandindo cerca de 4,0% mas é improvável que os níveis de PIB pré-vírus sejam atingidos até meados de 2022 nos Estados Unidos e significativamente mais tarde na Europa. Isso apesar do estímulo político maciço”, disse Coulton.