EUA precisam acelerar vacinação contra covid-19, diz força-tarefa

Foto: Casa Branca

São Paulo — A vacinação contra covid-19 nos Estados Unidos enfrenta problemas de fornecimento e precisa ser acelerada, o que também é a melhor forma de combater novas mutações do vírus, de acordo com a força-tarefa contra covid-19 da Casa Branca.

“O elemento principal do nosso plano é acelerar o processo de vacinação”, disse o assessor da Casa Branca para Covid-19, Andy Slavitt, em coletiva de imprensa. Segundo ele, a média móvel de sete dias de pessoas vacinadas no país é de 1,2 milhão por dia. “Este é um piso, não um teto”, afirmou.

Segundo ele, o processo enfrenta hoje dois desafios principais, “aumentar o fornecimento de vacinas de forma segura” e “transformar a produção de vacinas em vacinações mais rapidamente”.

Na mesma coletiva, o diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas, doutor Anthony Fauci, destacou que as vacinas atualmente disponíveis contra covid-19 têm eficácia, ainda que reduzida, ante as variantes de coronavírus.

“Nós como governo e empresas, precisaremos fazer ajustes, fazer versões da vacina que lidem especificamente com mutações”, disse. “Isso é um incentivo para fazer o que sempre dizemos: vacinar o máximo de pessoas que podemos o mais rápido que podemos”, acrescentou.

“A melhor maneira de evitar a mutação de qualquer vírus é evitar a sua replicação, que é fundamental para a mutação”. Segundo Fauci, as mutações “muito provavelmente vão se espalhar pelo país”, por isso é importante acelerar a vacinação.

A indicada para ser a diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), doutora Rochelle Walensky, disse na mesma coletiva que “as medidas de prevenção são as mesmas independente da variante do vírus”, e que é melhor “tratar casa caso como uma variante. Ela destacou a importância em intensificar o trabalho de vigilância de genoma, pesquisas e medidas de mitigação.

Com relação à vacina da Johnson & Johnson, Fauci disse que o dado mais importante é o de eficácia de 85% em doenças severas, incluindo Brasil, Estados Unidos e África do Sul, sem hospitalizações e mortes no grupo vacinado. “Temos agora um valioso candidato a vacina”, disse.

Sobre a vacinação de crianças para que a imunidade de rebanho seja alcançada, Fauci disse que “em alguns meses” serão realizados testes de desescalar a idade, reduzindo gradualmente a idade dos vacinados, e assim o país terá crianças vacinadas. Elas taxas menores de sintomas e de transmissibilidade, disse Walensky.

Slavitt reiterou ainda que o governo vai comprar mais 200 milhões de doses de vacinas. “Não importa o que aconteça com outras aprovações, teremos vacina suficiente para todos”.

Ele disse que sete estados já vacinaram mais de 10% de sua população adulta, incluindo Dakota do Norte e Sul, Novo México, Alasca, Oklahoma e West Virginia. Além disso, a Agência Federal de Gestão de Emergências (Fema) destinou US$ 1 bilhão para apoiar locais de vacinação, com sua equipe auxiliando em oito estados.

Por fim, ele apelou para que o Congresso aprove o pacote de alivio de covid-19 de US$ 1,9 trilhão apresentada pela administração do presidente Joe Biden. O plano inclui US$ 20 bilhões para o plano nacional de vacinação, com a instalação de centros de vacinação em massa e envio de unidades móveis para áreas remotas.