Estados Unidos aumentam cooperação com Japão para conter ímpeto chinês

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Foto: Casa Branca

São Paulo – O presidente norte-americano, Joe Biden, deu mais um passo em sua estratégia para conter o avanço da China na região Indo-Pacífico ao firmar uma série de compromissos com o Japão, que vão desde vacinas contra a covid-19, passando por pesquisa e tecnologia até realinhamento de bases dos Estados Unidos no país.

“Os Estados Unidos e o Japão trabalharão juntos contra ameaças chinesas na região e contra as ameaças da Coreia do Norte. Os dois países compartilham princípios democráticos, de direitos humanos e defendem a estabilidade da região”, disse Biden durante coletiva de imprensa com o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga.

Suga foi escolhido para ser o primeiro líder global a visitar a Casa Branca desde que Biden assumiu o cargo, em janeiro deste ano, em um sinal claro para os rivais da região – especialmente China e Coreia do Norte. No final de maio será a vez de o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, ir à Washington.

“Trabalharemos junto com o Japão em várias frentes prioritárias, entre elas, redes 5G, pesquisa e desenvolvimento, tecnologia, chips e cadeias de suprimentos”, disse Biden. “Também nos comprometemos a apoiar o desenvolvimento de vacinas contra a covid-19 para controlar a pandemia na região Indo-Pacífico”, acrescentou.

O presidente norte-americano contou ainda que o Japão fará parte da cúpula do clima que os Estados Unidos realizarão na próxima semana com líderes de 40 países, incluindo também o Brasil. “Estados Unidos e Japão seguem empenhados em reduzir as emissões a zero e a cúpula da próxima semana será um bom momento para reforçar esse compromisso”, disse Biden.

Suga, por sua vez, destacou a importância da aliança com os Estados Unidos. “Os Estados Unidos são os melhores amigos do Japão e essa parceria ajuda na estabilidade da região Indo-Pacífico. Os dois países se opõem a qualquer ameaça da China e da Coreia do Norte”, afirmou.

O premiê japonês renovou os apelos para que os Estados Unidos reforcem a segurança na região. Ele ainda acusou China e Coreia do Norte de violarem direitos humanos.

“Os Estados Unidos devem reforçar a segurança do Japão na região”, disse ele, acrescentando que os dois países concordaram com o realinhamento das bases norte-americanas no Japão.