Economia dos EUA deve crescer 2,25% este ano, diz Evans, do Fed

114
O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Chicago, Charles Evans. Foto: Fed Chicago

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) precisou cortar juros para manter a economia norte-americana em um ritmo sólido de crescimento, que deve ser mantido este ano, disse o presidente da unidade do Fed de Chicago, Charles Evans.

Segundo ele, em texto preparado para discurso em Frankfurt, desde o final do ano passado os dados econômicos vieram menos uniformes e os riscos cresceram, com as perspectivas de crescimento externo substancialmente mais fracas.

“Dentro de seis meses, passei de um pensamento de que seria apropriado adotar taxas de juros 0,50 ponto percentual (pp) acima de neutro para um de que 0,50 pp abaixo de neutro estavam em ordem”, disse Evans. Este ano, ele é membro votante do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês).

“Eu acho que essa postura mais acomodatícia é necessária para apoiar as perspectivas de crescimento semelhante ao que eu havia antecipado antes e, principalmente, para apoiar o aumento da taxa de inflação com maior segurança para alcançar nossa meta simétrica de 2% em um prazo razoável”.

Evans espera que a economia dos Estados Unidos cresça cerca de 2,25% este ano, com a força contínua nos gastos dos consumidores compensando a fraqueza nos gastos de negócios e nas exportações líquidas. Ele também prevê que a taxa de desemprego permaneça próximo ao seu nível atual por algum tempo.