Demanda global por petróleo deve cair no 1T20 pela 1ª vez em dez anos, diz AIE

255

São Paulo – A Agência Internacional de Energia (AIE) revisou para baixo sua previsão de crescimento da demanda global de petróleo em 365 mil barris por dia (bpd) para 825 mil barris por dia, a menor desde 2011, segundo a organização.

De acordo com a AIE, o motivo foi o consumo bem mais baixo que o esperado por países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 2019 e o surto do novo coronavírus na China.

Além disso, a agência também prevê uma queda de 435 mil bpd na demanda da commodity no primeiro trimestre de 2020, a primeira contração no índice em dez anos, segundo a AIE. A ação foi motivada também pela epidemia da nova doença em área chinesa, que já limitou o transporte e o comércio de mais de 100 milhões de chineses e impacta os pedidos do maior comprador de petróleo do mundo.

Segundo a agência, a produção global de petróleo caiu em janeiro em 800 mil bpd, levando a um total de 100,5 milhões de bpd. De acordo com o documento, mesmo com os cortes promovidos pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), um aumento de 2,1 milhões de bpd na oferta do restante do mundo fez com que sua restrição não afetasse tanto a distribuição mundial da commodity.

No entanto, a AIE espera que, devido ao Coronavírus, a Opep adicione um corte maior de 600 mil bpd além da restrição de 1,7 milhão de bpd já estabelecida pela organização.
Sobre os preços, a agência afirmou que os valores do Brent caíram em US$ 10 por barris no mês de janeiro, quase 20% no total.

A agência afirmou que mesmo antes do surto de coronavírus era esperado uma queda nos preços devido a uma excedência na oferta de países como Brasil e Noruega. Agora que a perspectiva de demanda foi rebaixada devido à epidemia, a AIE espera que os preços caiam ainda mais.