Comitê de política monetária do Fed discutiu mais apoio à economia, diz ata

169
Edifício do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) / Foto: Fed

São Paulo – As autoridades de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) mantiveram um amplo debate sobre futuras opções de apoio à economia e aos mercados financeiros em meio a um cenário considerado por elas repleto de riscos e cheio de incertezas, segundo a ata da reunião dos dias 9 de 10 de junho.

O documento mostrou que os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) estão confiantes de que as ferramentas atuais são eficazes, mas ainda assim desejam mais clareza sobre decisões futuras de política monetária, além de um estudo mais detalhado sobre o controle da curva de juros.

“Os participantes discutiram ferramentas para conduzir a política monetária em um momento no qual a taxa de juros está perto de zero. A discussão abordou dois tópicos: os papéis da orientação futura e do programas de compra de ativos no apoio às metas de emprego máximo e estabilidade de preços e abordagens que limitem ou fixem taxas ao longo da curva de juros e se essas abordagens podem ser usadas para apoiar orientações futuras e complementar programas de compra de ativos”, diz a ata.

Com relação à orientação futura, os membros do Fomc sinalizaram preferência pelo chamado foward guidance com base em resultados – que vincula alterações no intervalo da taxa básica de juros à obtenção de resultados macroeconômicos especificados, como alcançar um determinado nível da taxa de desemprego ou inflação – e programas de compra de ativos do tipo usado durante e após o último período de recessão.

Além disso, os membros do Fomc discutiram sobre uma possível estratégia para limitar os yields dos títulos do Tesouro, comprometendo-se a comprar os montantes necessários para mantê-los em determinados níveis, como forma de reforçar suas intenções de manter a taxa baixa.

No mês passado, o Fomc fez uma mudança, dizendo que manteria seu ritmo recente de compras de títulos do Tesouro e hipotecas, terminando efetivamente reduções semanais graduais. O Fed disse que compraria pelo menos US$ 80 bilhões em Treasuries e US$ 40 bilhões em títulos hipotecários, líquidos dos títulos vencidos, por mês.