China anuncia medidas contra quatro empresas de mídia dos Estados Unidos

166

São Paulo – Pequim exigiu que quatro meios de comunicação dos Estadas Unidos que operam na China forneçam todas as informações sobre seus funcionários e atividades dentro de uma semana, em resposta à “pressão política” imposta à mídia chinesa que trabalha nos Estados Unidos, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian. As informações são da agência de notícias “Sputnik”.

“O lado chinês anuncia que exige que a agência de notícias Associated Press, a agência de notícias United Press International, a emissora CBS e a emissora National Public Radio forneçam documentos escritos à parte chinesa sobre todos os funcionários que trabalham na China, finanças, negócios e imóveis dentro sete dias”, afirmou o porta-voz, em coletiva de imprensa.

A medida foi adotada depois que o Departamento de Estado dos Estados Unidos designou na semana passada quatro organizações de mídia chinesas – China Central Television, China News Service, People’s Daily e Global Times – como missões estrangeiras em uma ação que os forçaria a aderir a novos requisitos. Segundo Washington, essas organizações de mídia são “de propriedade substancial ou efetivamente controladas” por um governo estrangeiro.

O porta-voz observou que essas medidas adotadas por Pequim eram uma resposta necessária à pressão política irracional dos Estados Unidos em relação à mídia chinesa.
“Essas ações dos Estados Unidos estão cheias de mentalidade da Guerra Fria e de preconceitos ideológicos e interferem seriamente nas atividades normais da mídia chinesa.

O lado chinês pede aos Estados Unidos que corrijam imediatamente suas ações errôneas e parem de exercer pressão política na mídia chinesa”, acrescentou o porta-voz.