Chefe do Fed de Kansas City defende manutenção de apoio monetário

A presidente da unidade do Federal Reserve de Kansas City, Esther George

São Paulo – A presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Kansas City, Esther George, defendeu a manutenção das políticas de apoio monetário já que a pandemia do novo coronavírus não foi controlada e seus efeitos sobre a economia permanecem incertos.

“É muito cedo para discutir uma redução na acomodação, dado o contínuo aumento do desemprego, a inflação abaixo da meta e as incertezas em torno das perspectivas”, disse ela em um texto preparado para discurso.

Apesar do elevado grau de incerteza ligada à pandemia, George – que este ano não tem direito a voto – acreditam em uma forte recuperação com o avanço do processo de vacinação contra a covid-19.

“A força e o momento dessa recuperação dependem, na minha opinião, de três fatores incertos: primeiro, o ritmo e a eficácia da vacinação; segundo, a perspectiva de mais estímulos fiscais; e terceiro, se e em que grau as famílias reduzem suas economias que eles acumularam até agora durante a crise “, afirmou.

Embora não tenha pedido mais gastos do governo, George disse que o aumento da ajuda poderia acelerar a economia. A declaração acontece em um momento no qual os democratas do Congresso avançam na direção da aprovação de um pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão apresentado no mês passado pelo presidente norte-americano, Joe Biden.