Biden detalha gastos de pacote para educação e família

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden / Foto: Campanha Joe Biden

São Paulo — O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, explicou mais sobre os detalhes de seu pacote de auxílio às famílias e à educação de US$ 1,8 trilhão anunciado na semana passada.

Biden propôs que US$ 109 bilhões fossem gastos para fornecer aos norte-americanos dois anos de faculdade comunitária gratuita e US$ 62 bilhões para programas que poderiam melhorar as taxas de conclusão em faculdades comunitárias e instituições que atendem predominantemente a alunos desfavorecidos.

“A maioria dos estudantes não consegue concluir a faculdade por questões de logística como transporte e alimentação. Por isso, será uma das prioridades do programa resolver essa questão”, afirmou ele em coletiva de imprensa na faculdade comunitária Tidewater, em Virginia.

Biden acrescentou que pretende colocar mais quatro anos na idade escolar obrigatória, considerando-os parte da pré-escola, numa tentativa de ampliar os ensinamentos formais das crianças norte-americanas. “Estudos mostram que um aumento na educação inicial previne o abandono escolar nos anos de faculdade”, disse ele.

Por fim, Biden prometeu criar programas de cuidado infantil como creches e jardins de infância. “A ideia é que famílias de baixa renda não precisem gastar mais do 7% da renda em cuidado infantil”, afirmou ele.

Apesar das grandes ambições do presidente, há incerteza sobre a possibilidade de Biden conseguir a aprovação desses programas de gastos por meio de estreitas maiorias democratas no Congresso. Ele propôs um total de US $ 4,1 trilhões a ser gasto em infraestrutura, banda larga, novos edifícios escolares, estações de recarga de veículos elétricos, rede elétrica, créditos tributários infantis e creches, entre outros programas. Tudo isso seria financiado por impostos mais altos sobre as empresas e os ricos.