Fed será claro ao informar proximidade de mandato duplo, diz Powell

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell / Foto: Fed

São Paulo – O Federal Reserve (Fed) já deixou claro que ainda não chegou o momento para tratar da retirada da acomodação que vem ajudando a economia dos Estados Unidos a se recuperar da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus. Quando esse momento chegar, a principal ferramenta do banco central norte-americano será a transparência.

“Seremos transparentes e claros ao informar o público que o momento do pleno emprego e da estabilidade de preços está chegando. Temos esse compromisso”, disse o presidente do Fed, Jerome Powell, durante sessão de perguntas e respostas na conferência on-line sobre uma economia justa.

Questionado sobre qual é a meta de pleno emprego do Fed – que junto com a inflação em 2% faz parte do mandato duplo –, Powell respondeu: “Não temos uma medida fixa ou um indicador específico para medir isso. Utilizamos vários indicadores como a força de trabalho, a taxa de desemprego e os salários para medir o nível de aquecimento do mercado de trabalho norte-americano”.

Em março, a economia dos Estados Unidos criou 916 mil postos de trabalho e a taxa de desemprego caiu para 6%, de 6,2% em fevereiro. O relatório de emprego de abril, conhecido como payroll, será divulgado nesta sexta-feira e a expectativa é de que o mercado de trabalho dos Estados Unidos siga aquecido conforme a economia se recupera ajudada pelo processo de vacinação contra a covid-19 em andamento.

Em agosto do ano passado, o Fed indicou que não usaria a queda da taxa de desemprego como o primeiro gatilho para o ajuste da taxa de juros. A partir daquela ocasião, o banco central norte-americano indicou que usaria a inflação como um indicador de aperto da política monetária, mas, para isso, passaria a permitir que a taxa ficasse além da meta de 2% ao ano para compensar períodos em que esteve abaixo desse patamar.

“Não somos uma agência de inteligência, com dados secretos para avaliar se nossa economia está na direção das metas. Nossas equipes avaliam os dados que estão disponíveis com muita cautela, conversamos com empresas, com representantes de segmentos da economia e da sociedade para avaliar o desemprenho da atividade”, afirmou Powell tentando desmistificar o momento do ajuste da política monetária.

Na semana passada, o Fed decidiu manter a taxa de juros na faixa entre zero e 0,25% ao ano e seguir com as compras de títulos em pelo menos US$ 120 bilhões mensais. Na ocasião, Powell disse que o momento da redução gradual da acomodação ainda não havia chegado e que isso aconteceria primeiro pela diminuição das aquisições de ativos para só depois chegar ao aumento da taxa de juros.