BNDES suspende pagamento de empréstimos e injeção de R$ 55 bi

197

São Paulo – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) suspendeu temporariamente a obrigação das empresas de pagar parcelas de financiamento diretos e indiretos para ajudar a mitigar os efeitos econômicos da epidemia do Covid-19 sobre o caixa das empresas brasileiras.

Segundo o banco, a suspensão temporária de pagamentos de parcelas de financiamentos diretos para empresas equivale a um auxílio de R$ 19 bilhões, enquanto a suspensão de parcelas de financiamentos indiretos chega a R$ 11 bilhões.

O BNDES também transferirá R$ 20 bilhões em recursos do Fundo PIS-PASEP para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e ampliará o crédito para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs), por meio dos bancos parceiros, no valor de R$ 5 bilhões.

“As medidas adotadas pelo BNDES visam a apoiar o trabalhador diretamente com a possibilidade de novos saques do FGTS e indiretamente, ao ajudar na manutenção de mais de 2 milhões de empregos com aumento da capacidade financeira e preservação de 150 mil empresas. Os R$ 55 bilhões que serão injetados na economia representam quase a totalidade dos desembolsos do BNDES em todo o ano de 2019”, disse o banco em um comunicado divulgado ontem.