CCR divulgará dados semanais de movimentação durante período de incertezas

219

São Paulo – A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) afirmou que divulgará semanalmente e de forma agregada por divisão informações sobre a movimentação nas concessões sob sua gestão, diante dos impactos de curto prazo relacionados ao Covid-19, novo do novo coronavírus.

De acordo com a concessionária, o boletim semanal será divulgado durante o fim de semana e abrangerá o período de sete dias entre a sexta-feira da semana antecedente e a quinta-feira mais recente. As informações serão divulgadas na forma de eixos equivalentes.

“Cabe ressaltar que as informações de movimentação em bases semanais, e sua comparação com os mesmos dias do ano anterior, estão sujeitas a inúmeros fatores que dificultam a interpretação, tais como feriados e condições climáticas. Além disso, a própria natureza das concessões é de negócios que tem um horizonte de longo prazo”, diz o comunicado.

Em março, até o dia 19, o tráfego total de veículos nas rodovias da CCR registrou alta de 5,8%, sendo que os veículos de passeio tiveram queda de 6,4% e o comercial alta de 16,2%. Sem a ViaSul, o tráfego subiu apenas 0,8% no período, sendo que os leves caíram 11,1% e o comercial teve alta de 10,7%.

Na CCR Infra SP, que abrange outras rodovias que não são de capital, incluindo AutoBAn e ViaOeste, houve queda de 1,8% até o dia 19 de março, sendo que os veículos leves caíram 11,5% e o comercial teve alta de 7,8%.

Na LAM Vias, que também abrange outras concessões que não possuem capital aberto, houve alta de 21,4%, sendo que os veículos leves tiveram alta de 7,3% e comercial de 30,1%. Sem ViaSul, a alta total é de 6,7% até o dia 19 de março, sendo que os veículos de passeio caíram 9,8% e comercial teve alta de 15,8%.

Na concessão Mobilidade, houve queda de 26% até o dia 19 de março, enquanto nos Aeroportos a queda foi de 20,4% no período.

Em comunicado, a empresa explicou que divulgará essas informações enquanto estiver vivendo esse momento de grandes incertezas e volatilidade causada pelo novo coronavírus.