Baleia Rossi nega promessa de impeachment e incomoda PT

129
O deputado Baleia Rossi (MDB-SP) no lançamento oficial de sua candidatura à presidência da Câmara dos Deputados. (Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados)

São Paulo – O candidato a presidente da Câmara dos Deputados Baleia Rossi (MDB-SP) negou haver compromisso dele com o impeachment do presidente Jair Bolsonaro, o que levou o Partido dos Trabalhadores (PT), que tem o maior número de assentos na Casa, a indicar que haverá menos apoio da sigla à candidatura do emedebista.

No fim de semana, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, Rossi disse que o impeachment de Bolsonaro “não é o caminho, não é bom para o Brasil. O impeachment é o extremo do extremo do extremo que está na nossa Constituição. Precisamos hoje de estabilidade. E reafirmo que não houve compromisso de abertura de impeachment.”

A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffman (PT-PR), reagiu aos comentários de Rossi em sua conta no Twitter, afirmando que “dar resposta a crimes do Executivo é o item 3.6 do compromisso de Baleia Rossi com a oposição. Inclui analisar denúncias de crimes do presidente da República, mesmo que não haja acordo para aprovar impeachment. Ao negar o que tratamos e fechar essa possibilidade, Baleia perderá votos no PT”, afirmou.

O PT possui 52 votos na Câmara e é o maior partido da Casa em termos de número de deputados, ao lado do PSL – que no momento tem menos assentos oficialmente porque parte de seus deputados foi suspensa pela direção nacional do partido. O PSL declarou apoio a Rossi inicialmente, mas houve um racha entre os deputados da sigla e a maior parte deles agora tenta migrar para o bloco de Arthur Lira (PP-AL), candidato de Bolsonaro para a presidência da Câmara.

Ontem, em sua conta no Twitter, Lira disse que “sempre digo que ninguém pode se comprometer ou torcer por um impeachment. Ele é um remédio institucional amargo. E é fruto de uma conjunção de fatores e não uma decisão unilateral do presidente da Câmara.”