Acordo comercial entre EUA e China sobrevive à escalada de tensões

274

São Paulo – O acordo comercial firmado em janeiro entre Estados Unidos e China parece sobreviver a escalada de tensões entre os dois país. Hoje, o presidente norte-americano, Donald Trump, afirmou que Pequim realizou na semana passada o maior pedido já feito de soja e milho para os produtores agrícolas de seu país.

Apesar de ver o acordo comercial com os chineses de “outra forma” após a pandemia do novo coronavírus, Trump diz ter “certeza de que eles desejam continuar fazendo negócio conosoco”.

“Eu recebi informações de que a China fez a maior compra de milho e soja na história com nossos produtores”, afirmou Trump durante seu discurso de na Convenção Republicana, que está sendo realizada na Carolina do Norte.

“Não vamos nos esquecer de que a tinta ainda estava fresca quando os chineses permitiram que o vírus tomasse conta. Eu vejo nosso acordo de forma muito diferente agora. Mas eles querem fazer negócio conosco”, afirmou ele.

As relações entre China e Estados Unidos têm se tornado cada vez mais frágeis desde o início da pandemia de covid-19. Trump vem acusando repetidamente o governo chinês de não ter feito o suficiente para conter o novo coronavírus dentro de suas fronteiras.

Além disso, a imposição de uma nova lei de segurança chinesa em Hong Kong ajudou a agravar as relações entre as duas maiores economias do mundo e a tensão acabou se espalhando para outros setores como o de tecnologia e inovação, que colocou empresas chinesas como a Huawei e a Bytedance, controladora do aplicativo de compartilhamento de vídeos TikTok, sob a mira da Casa Branca.