Ações da Suzano sobem mais de 6% após reajuste de preço da celulose

148

São Paulo – As ações da Suzano estão entre as maiores valorizações do Ibovespa nesta quinta-feira (7) após a empresa anunciar um novo preço de US$ 600,00 para a tonelada da celulose de fibra curta para vendas no Sudeste da Ásia e Oriente Médio, o que representa um aumento de US$ 50,00, segundo relatório do Bradesco BBI.

Às 14h43 (horário de Brasília) os papéis (SUZB3) tinham ganhos de 6,39%, a R$ 61,20.
Ainda segundo relatório do banco, que cita informações do site especializado RISI, a alta no preço foi impulsionada pelo aumento dos custos de remessa e pela disponibilidade limitada de remessa para algumas regiões.

“No início de dezembro, a Suzano já havia definido um aumento de preço para US$ 550 a tonelada. As condições de mercado mais apertadas em algumas regiões e custos de remessa mais altos criaram a base para aumentos de preços de celulose. A Suzano é nossa principal escolha no setor de papel e celulose na América Latina”, disseram os analistas do Bradesco BBI.

Os analistas afirmam que já previam um mercado mais apertado em 2021
amparado pelo crescimento da demanda, principalmente na China, mas também de outras regiões ao longo do ano, conforme a pandemia de covid-19 se dissipar. O banco prevê uma média de preço de celulose de fibra curta em US$ 570,00 a tonelada em 2021.

Os papéis do setor de papel e celulose também se beneficiam da alta do dólar vista hoje, por serem exportadores. O dólar comercial subia 1,77%, a R$ 5,40 na venda.