Ações da Suzano e Klabin sobem após nova alta de preço da celulose

200
Cultivo de eucalipto em indústria de celulose em Mucuri Foto: Amanda Oliveira/GOVBA

São Paulo – As ações da Suzano e da Klabin estão entre as maiores altas do Ibovespa na manhã de hoje após mais uma rodada de aumento nos preços da celulose.

A Suzano anunciou o segundo aumento consecutivo nos preços em dois meses para clientes da Europa e da América do Norte para US$ 70 a tonelada da celulose de fibra curta de eucalipto (BEKP, na sigla em inglês). A empresa agora tem como meta uma referência de lista de US$ 820 a tonelada (antes dos descontos) para seus pedidos europeus, aponta relatório do banco BTG Pactual.

Os analistas do banco BTG Pactual também reforçaram as perspectivas positivas do setor e reiteraram a recomendação de compra para as ações da Suzano e da Klabin.

“Este ano parece um bolsão de força significativo com a falta de oferta, melhorando a demanda em geral, spreads de celulose de fibra longa e curta insustentavelmente altos acima de US$ 200 a tonelada (levando à substituição reversa), estoques de celulose em declínio na China e conversão de papel saudável margens. Aproveitamos para recomendar aos investidores que comprem Suzano e Klabin na esteira dessa recuperação.”

O relatório ainda destaca que a Suzano se mantém como a principal escolha para a compra de ações devido ao potencial de desalavancagem relevante.

Às 11h54, (horário de Brasília), os papéis da Suzano (SUZB3) registravam alta de 2,56% para R$ 66,80 e as units da Klabin (KLBN11) avançavam 1,51%, para R$ 29,56.