Yellen expressa preocupação com controles de exportação da China em visita a Pequim

718
A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen / Foto: Federal Reserve

São Paulo – A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, expressou preocupação com os recentes controles de exportação anunciados pela China durante sua visita a Pequim nesta sexta-feira (7). O Ministério do Comércio chinês anunciou no início desta semana que as empresas que desejam exportar dois metais cruciais para a fabricação de semicondutores precisarão solicitar licenças a partir de 1º de agosto.

Yellen, em comentários preparados para uma reunião com empresas americanas na capital chinesa, destacou a importância de construir cadeias produtivas resilientes e diversificadas, enquanto ainda avalia o impacto das ações chinesas. Ela ressaltou que as medidas reforçam a necessidade de os Estados Unidos manterem capacidades tecnológicas fortes e limitarem o acesso da China a tecnologias avançadas.

“Também estou preocupada com os novos controles de exportação anunciados recentemente pela China sobre dois minerais críticos usados em tecnologias como semicondutores”, afirmou Yellen. “Ainda estamos avaliando o impacto dessas ações, mas elas nos lembram da importância de construir cadeias produtivas resilientes e diversificadas.”

O governo Biden já implementou amplas restrições de exportação que entraram em vigor em outubro passado, limitando a capacidade das empresas americanas de vender certos semicondutores de computação avançada e equipamentos de fabricação relacionados à China. Essas medidas visam proteger a segurança nacional dos Estados Unidos e não têm o objetivo de obter vantagem econômica sobre a China, de acordo com Yellen.

Durante sua visita à China, Yellen ressaltou a importância de um diálogo construtivo entre os dois países. Ela afirmou ter deixado claro ao governo chinês que as ações dos Estados Unidos visam proteger a segurança nacional e são direcionadas de maneira restrita.

“Deixei claro que as ações que tomamos para proteger nossa segurança nacional são projetadas para serem direcionadas de maneira restrita”, afirmou Yellen. “Elas têm como premissa considerações diretas de segurança nacional e não são realizadas para obter vantagem econômica sobre a China.”

A visita de Yellen à China, a primeira desde o início do governo Biden, ocorreu logo após a viagem do secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, a Pequim no mês passado. Durante sua estadia, Blinken também se reuniu com empresas americanas no país asiático.

Em seus comentários preparados para as empresas, Yellen enfatizou que os Estados Unidos não buscam separar sua economia da China. Ela destacou a importância de uma competição econômica saudável entre os dois países, afirmando que o intercâmbio regular com os colegas chineses pode ajudar a monitorar riscos econômicos e financeiros, além de criar condições para um relacionamento econômico benéfico para ambos os lados.

“No campo econômico, o intercâmbio regular com nossos colegas chineses pode nos ajudar a monitorar os riscos econômicos e financeiros e pode ajudar a criar as condições para um relacionamento econômico saudável entre nossos dois países”, ressaltou Yellen.