Weg investirá R$ 1,2 bilhão na expansão da capacidade produtiva

126

São Paulo, SP – A Weg informou ontem (5) que investirá R$ 1,2 bilhão, ao longo dos próximos três anos, para expansão de capacidade de produção de transformadores no Brasil, México e Colômbia. A companhia prevê iniciativas para aumentar aproximadamente 50% da sua capacidade de produção.

No Brasil, os investimentos acontecerão nos parques fabris de Betim e Itajubá, ambos no Estado de Minas Gerais. Em Betim, além da ampliação predial para alocação de novos postos de trabalho de bobinagem, montagem, laboratório e expedição, a companhia também construirá uma nova fábrica dedicada a produção de radiadores com aproximadamente 4.600 m2. Com aporte de aproximadamente R$ 200 milhões, a operação de Betim terá mais de 47.000 m2 de área construída.

Em Itajubá, onde a Weg tem uma fábrica de transformadores para instrumentos e conjuntos de medição, a expectativa é dobrar sua atual capacidade de produção com a construção de uma nova fábrica com 6.000 m2 de área construída. O investimento no município, de aproximadamente R$ 83 milhões, não só aumentará a participação de mercado da companhia, como também permitirá um maior volume de exportação a partir do Brasil, aumentando a presença nas Américas.

No México, a Weg investirá cerca de R$ 765 milhões para construir uma nova fábrica de transformadores de potência. A nova unidade será construída no terreno adquirido recentemente em Atotonilco de Tula e terá 33.000 m2 de área edificada. A estratégia deste projeto é passar a atender o mercado de transmissão norte-americano até 550 kV, liberando a atual fábrica de transformadores de Huehuetoca para a produção de equipamentos de 138 kV a 230 kV e ofertar mais capacidade para atender a demanda continua e crescente por transformadores de potência no país e nos EUA.

Na Colômbia, o plano é aumentar a capacidade de produção local com a construção de uma nova fábrica de transformadores até 60 MVA, na cidade de Rionegro, Estado de Antioquia. Com aproximadamente 23.000 m2 de área construída, o novo parque fabril atenderá a demanda do setor petrolífero e a necessidade de ampliação e modernização do parque energético de mercados vizinhos como Chile, Bolívia, Peru, Equador e América Central. O investimento no país será de aproximadamente R$ 190 milhões.

“O cronograma de investimentos prevê a conclusão das obras até dezembro de 2026. Os novos prédios serão projetados de forma a permitir o aumento gradual e contínuo da capacidade de produção e atender às necessidades de expansão da companhia ao longo dos próximos anos”, concluiu o comunicado.