Vacina contra covid-19 para crianças da Moderna gerou forte resposta imunológica

Foto: União Europeia (UE)

São Paulo – A Moderna anunciou que sua vacina contra covid-19 gerou uma forte resposta imunológica e foi geralmente bem tolerada em crianças de seis a 11 anos. A empresa planeja enviar os dados aos reguladores em breve.

“Esta análise provisória mostrou uma resposta robusta de anticorpos neutralizantes após duas doses de mRNA-1273 no nível de dose de 50 g com um perfil de segurança favorável. A Moderna planeja enviar esses dados para a Food and Drug Administration (FDA), a European Medicines Agency (EMA) e outros reguladores globais em curto prazo”, afirmou a empresa em comunicado.

Segundo a farmacêutica, a segurança foi comparável ao que foi visto anteriormente em testes clínicos com adolescentes e adultos.

“Fomos encorajados pela imunogenicidade e perfil de segurança do mRNA-1273 em crianças com idade entre 6 e menos de 12 anos e estamos satisfeitos que o estudo alcançou seus pontos finais de imunogenicidade primária”, disse Stéphane Bancel, CEO da Moderna. “Esperamos entrar com um processo junto aos reguladores em todo o mundo e continuamos comprometidos em fazer nossa parte para ajudar a acabar com a pandemia de covid-19 com uma vacina para adultos e crianças de todas as idades”.

Um painel de conselheiros da FDA votará amanhã se autoriza a vacina da Pfizer e da BioNTech para uso em crianças de cinco a 11 anos.

A vacina da Moderna foi autorizada para adultos maiores de 18 anos e recentemente ganhou liberação para uma terceira dose para alguns norte-americanos

No entanto, a Food and Drug Administration dos EUA ainda não autorizou a vacina para uso em adolescentes de 12 a 17 anos. A Suécia pausou o uso da vacina Moderna para grupos de idades mais jovens após relatos de casos de inflamação do coração em jovens adultos.

A Moderna disse que a maioria dos efeitos colaterais no estudo, que teve 4.753 participantes, foram de gravidade leve ou moderada, com fadiga, dor de cabeça, febre e dor no local da injeção os mais comuns.

As vacinas usadas no ensaio foram doses de 50 microgramas, metade da dosagem usada na série de vacinas primárias para adultos. A dose de 50 microgramas também está autorizada para uso como dose de reforço.