UE adquire 4 milhões de doses adicionais de vacina da Pfizer contra covid-19

Foto: BioNTech

São Paulo – A Comissão Europeia anunciou que chegou a um acordo com a BioNTech e a Pfizer para fornecer aos Estados membros da União Europeia (UE) quatro milhões de doses adicionais de sua vacina contra o coronavírus para combater os pontos críticos da pandemia no continente e acelerar o movimento livre nas fronteiras.

“Para enfrentar as variantes agressivas do vírus e para melhorar a situação nos pontos de maior contaminação, é necessária uma ação rápida e decisiva. Tenho o prazer de anunciar hoje um acordo com a BioNTech-Pfizer, que oferecerá aos Estados membros a disponibilização de um total de quatro milhões de doses de vacinas antes do final de março, que serão fornecidas além das entregas de doses planejadas”, disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, em comunicado.

“Isso ajudará os Estados membros nos seus esforços para manter a propagação de novas variantes sob controle. Através da sua utilização direcionada onde são mais necessários, em particular nas regiões fronteiriças, estas doses também ajudarão a garantir ou restaurar a livre circulação de mercadorias e pessoas. Estes são essenciais para o funcionamento dos sistemas de saúde e do mercado único”, completou ela.

Segundo a Comissão Europeia, apesar da atual redução do número de mortes na UE, resultado da vacinação de idosos e pessoas mais vulneráveis, o órgão está preocupado com o desenvolvimento de uma série de pontos críticos de covid-19 em todo o bloco.

“Isso é causado, em particular, pela disseminação de novas variantes, que são mais contagiosas. A vacina BioNTech-Pfizer provou ser altamente eficaz contra todas as variantes atualmente conhecidas do vírus da covid-19”, explica documento da Comissão.

Segundo a nota, regiões como Tirol na Áustria, Nice e Mosela na França, Bolzano na Itália e algumas partes da Baviera e Saxônia na Alemanha viram o número de infecções e hospitalizações aumentar vertiginosamente nas últimas semanas, levando os Estados Membros a adotar medidas rigorosas e, mesmo em certos casos, impor novos controlos nas fronteiras.

A Europa tem tido dificuldades em seu processo de vacinação. De acordo com o Our World in Data, o Reino Unido administrou 35 doses por 100 pessoas, os Estados Unidos administraram 28 doses, enquanto a União Europeia administrou apenas 10 doses.

A AstraZeneca tem lutado para cumprir seu cronograma de entrega de vacinação da União Europeia, e relatórios sugerem que a Johnson & Johnson também terá dificuldade para cumprir seus objetivos quando sua vacina de dose única obtiver a aprovação do bloco europe.

Os europeus também estão menos entusiasmados em tomar a vacina criada pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford, em meio ao pessimismo inicial sobre seu desempenho exibido pela chanceler alemã Angela Merkel e pelo presidente francês Emmanuel Macron.

A UE já havia solicitado 200 milhões de doses adicionais em fevereiro, depois das 300 milhões de doses que já haviam sido comprometidas com a UE até 2021 sob o primeiro acordo de fornecimento assinado no ano passado.