Trump impede depoimento de embaixador na UE em inquérito de impeachment

98
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Foto: Divulgação/ Casa Branca

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O presidente dos estados Unidos, Donald Trump, disse que não vai permitir que o embaixador do país na União Europeia (UE), Gordon Sondland, faça um depoimento diante de comitês da Câmara dos Deputados que conduzem as investigações de impeachment.

“Eu adoraria enviar o embaixador Sondland, um homem realmente bom e grande norte-americano, para depor mas, infelizmente, ele iria depor perante um tribunal de cangurus totalmente comprometido, onde os direitos republicanos foram retirados, e fatos verdadeiros não são permitidos para o público ver”, disse Trump, no Twitter.

Sondland foi convocado para depor diante dos comitês da Câmara dos Deputados de Inteligência, de Assuntos Externos, e de Supervisão e Reforma, que lideram as investigações do impeachment de Trump.

Os inquéritos visam a esclarecer se Trump cometeu crimes ao pressionar o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, para investigar o filho do pré-candidato a presidência norte-americana Joe Biden, em um telefonema no dia 25 de julho. Dias antes da ligação, Trump teria retido cerca de US$ 400 milhões em ajuda à Ucrânia.

Em outra mensagem no Twitter, Trump disse que Sondland confirmou que não houve contrapartidas de nenhum tipo entre o pedido de investigações de Biden e a ajuda financeira aos ucranianos. “Isso diz tudo”, acrescentou o presidente norte-americano.

O governo dos Estados Unidos tem se reusado a entregar documentos e a permitir que autoridades deponham ante os comitês da Câmara. Na semana passada, o secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, se recusou a depor e acusou os comitês de intimidarem autoridades do Departamento de Estado para obter informações relacionadas ao inquérito de impeachment.