Serviços avançam 0,4% em março ante fevereiro; previsão era de -0,15%

66
Créditos: Valeria Boltneva/Pexels

São Paulo – A receita real de serviços, que se refere à evolução do volume da atividade no setor em termos reais, descontada a inflação (deflacionado), avançou 0,4% em maço ante fevereiro, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima das expectativas do mercado financeiro, de -0,15%, conforme o Termômetro CMA.

Já em relação a março de 2023, o volume de serviços recuou 2,3%. O resultado ficou abaixo das expectativas do mercado financeiro, de -2,10%, conforme o Termômetro CMA.
No indicador acumulado do primeiro trimestre de 2024, o volume de serviços mostrou expansão de 1,2% frente a igual período de 2023. Já o acumulado dos últimos 12 meses mostrou perda de dinamismo ao passar de 2,2% em fevereiro para 1,4% em março de 2024, mantendo, assim a trajetória descendente verificada desde outubro de 2022 (9,0%).

A expansão do volume de serviços (0,4%), observada na passagem de fevereiro para março de 2024, foi acompanhada por quatro das cinco atividades de divulgação investigadas, com destaque para os avanços vindos de informação e comunicação (4,0%) e de profissionais, administrativos e complementares (3,8%), recuperando, assim, as perdas observadas em fevereiro: -2,5% e -2,1%, respectivamente.

Os outros avanços ficaram com transportes (0,3%); e serviços prestados às famílias (0,6%), com o primeiro setor recuperando uma pequena parte da perda acumulada nos últimos dois meses (-1,0%); e o segundo registrando um avanço de 0,8% no período fevereiro-março de 2024, após ter apontado um revés de 2,8% em janeiro último.
Por sua vez, os outros serviços (0,0%) mostraram estabilidade em março após terem recuado 1,0% em fevereiro.

Ainda na série com ajuste sazonal, a evolução do índice de média móvel trimestral para o total do volume de serviços mostrou estabilidade (0,0%) no trimestre encerrado em março de 2024 frente ao nível do mês anterior. Entre os setores, houve predomínio de taxas negativas, com os serviços prestados às famílias (-0,7%); outros serviços (-0,8%); e transportes (-0,2%) assinalando retração; enquanto informação e comunicação (1,0%) e os profissionais, administrativos e complementares (0,9%) registraram crescimento.

Frente a março de 2023, o volume do setor de serviços apontou retração de 2,3% em março de 2024, após assinalar dois resultados positivos seguidos. O recuo deste mês foi acompanhado por duas das cinco atividades de divulgação e contou ainda com crescimento em apenas 41,6% dos 166 tipos de serviços investigados.

Entre os setores, o de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-10,4%) exerceu o principal impacto negativo. O outro recuo veio de outros serviços (-2,0%).
Em sentido oposto, o principal resultado positivo ficou com o setor de informação e comunicação (4,3%). Os demais avanços vieram dos serviços prestados às famílias (7,2%); e dos profissionais, administrativos e complementares (1,3%).

No acumulado do primeiro trimestre de 2024, frente a igual período do ano anterior, o setor de serviços apresentou expansão de 1,2%, com quatro das cinco atividades de divulgação apontando taxas positivas e crescimento em 54,8% dos 166 tipos de serviços investigados.