Renda Cidadã será apresentado após eleições municipais, diz relator

200
O senador Marcio Bittar (MDB-AC). (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Brasília – O senador Marcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC Emergencial, texto que incluirá o programa Renda Cidadã, que substituirá o Bolsa Família e dará continuidade ao auxílio emergencial, afirmou há pouco à Agência CMA que a apresentação dos pontos do programa ficará para depois das eleições municipais deste ano, que devem terminar em 29 de novembro, prazo limite nos casos de segundo turno.

“Se eu quero resolver esse problema eu quero eu não posso ser o porta-voz de mim mesmo. Você tem pessoas fundamentais, a partir do presidente da República, no Senado, na Câmara sem as quais você não aprova o programa”, disse. A base da decisão de Bittar, segundo ele é de que “se não houve consenso até agora, não vai ser durante campanha eleitoral” que isso acontecerá. 

“O problema é muito grande e grave, nós precisamos aí de R$ 20, 25 bilhões que nós temos que arrumar e não tem no orçamento porque são 8 milhões de pessoas que em janeiro, para poder se alimentar vão ter que ter uma renda”, explicou Bittar. 

Segundo o relator, a discussão em paralelo às reformas que tramitam no também acaba dispersando o foco da discussão sobre o tema. “Vai ter que tirar de algum lugar e qualquer que seja ele tem chiadeira”, explicou sobre a busca pela fonte dos recursos do programa. 

“Você fazer isso no momento em que grande parte das pessoas fundamentais estão com seu foco no mínimo dividido entre a eleição no seu município, no seu estado, não é o melhor momento. Então como dizia Nelson Rodrigues, a vida como ela é. Vamos esperar passar a eleição e aí sim a partir do próprio presidente da República e dos líderes na Câmara no Senado vamos enfrentar e resolver o problema”, informou o senador.