RBSE impacta e lucro líquido soma R$ 3,120 bi no 4T19

212
Foto divulgação: Eletrobras

São Paulo – A Eletrobras obteve lucro líquido de R$ 3,120 bilhões no quarto trimestre de 2019, queda de 77% na comparação anual. O lucro líquido das operações continuadas teve queda de 59% no período, para R$ 4,872 milhões na mesma base de comparação.

No ano passado, o lucro líquido caiu 20% e totalizou R$ 10,744 bilhões, enquanto o lucro líquido das operações continuadas alcançou R$ 7,459 bilhões em 2019, queda de 44,5%.

Segundo a estatal, a queda no lucro se dá em função do ajuste do valor justo da Rede Básica Sistemas Existentes (RBSE), que passou de uma receita líquida de R$ 1,143 bilhão no quarto trimestre de 2018 para uma despesa líquida de R$ 1,258 bilhão no último trimestre de 2019.

A receita operacional líquida atingiu R$ 7,339 bilhões no período, 2,9% superior ao mesmo trimestre do ano anterior. A receita operacional líquida recorrente, que engloba receita do Procel, registrou alta de 7,5% e somou R$ 7,389 bilhões na mesma base de comparação.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no quarto trimestre somou R$ 3,204 bilhões, queda de 74% ante igual período do ano anterior. O ebtida recorrente, por sua vez, que exclui custos e provisões de ativos e planos, subiu 10,7% no trimestre, para R$ 3,248 bilhões.

A venda de energia gerada pela estatal totalizou 37 gigawatts-hora (GWh), queda de 9,75% no trimestre na comparação com o mesmo intervalo do ano anterior. A energia elétrica comprada para revenda atingiu R$ 669 milhões no período, alta de mais de três vezes que o mesmo período de 2018.

As receitas com geração, por sua vez, aumentaram 5,58% e totalizaram R$ 6,297 bilhões na base anual. No trimestre, o preço médio no mercado regulado ficou em R$ 248 por megawatts-hora (MWh), enquanto o preço no mercado livre ficou em R$ 180,38 por MWh.

No período, as despesas financeiras apresentaram uma elevação de 6%, para R$ 1,699 bilhão na comparação anual. O caixa e equivalente de caixa era de R$ 10,762 bilhões no trimestre, alta de 47,72%.

Ao final do trimestre, a dívida líquida recorrente da Eletrobras era de R$ 21,041 bilhões, 5,3% maior que o visto no mesmo intervalo do ano anterior. A alavancagem, medida pela relação dívida líquida por ebitda recorrente, alcançou 1,6 vez no trimestre, queda de 0,5% na base anual.