RADAR DO DIA: Vitória de Biden confirmada e transição ordenada de Trump

150

São Paulo – O Congresso dos Estados Unidos confirmou a vitória de Joe Biden na eleição para presidente do país, mesmo depois de um grupo de apoiadores de Donald Trump atacar o Capitólio para tentar impedir a declaração do resultado. A notícia – somada ao compromisso de Trump de fazer uma transição “ordenada” do poder -, empurra para cima as bolsas no exterior.

A leitura dos investidores é que, uma vez ratificada a vitória de Biden, ele terá poder suficiente no Congresso para aprovar pacotes de estímulo à economia, visto que seu partido, o Democrata, terá controle tanto da Câmara quanto do Senado. O receio com outras pautas de Biden referentes ao aumento de impostos sobre empresas e mais fiscalização das companhias de tecnologia, por enquanto, está em segundo plano.

A expectativa de mais dólares circulando na economia global pesa sobre a moeda norte-americana e provoca alta nos juros da dívida dos Estados Unidos, que precisará aumentar para que mais estímulos cheguem à população. Os juros de outros países também sobem, dado que a dívida americana é quem baliza o custo do dinheiro no mundo.

No Brasil, os presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) repudiaram publicamente, há pouco, que a invasão de apoiadores do presidente norte-americano Donald Trump, ao Capitólio, prédio do parlamento dos Estados Unidos em Washington. Maia disse que a ação seria um ‘ato de desespero’, enquanto Alcolumbre afirmou ser desprezo ao resultado das eleições estadunidenses.

Em relação ao combate à covid-19, o governo federal diminuiu de 16% para zero a alíquota de importação de insumos hospitalares, entre eles seringas, e eliminou temporariamente barreiras antidumping que eram aplicadas a seringas descartáveis compradas especificamente da China, de US$ 4,55 por quilo.

Na agenda do dia, as atenções estarão voltadas ao potencial anúncio do pedido de registro da vacina do Butantan e da Sinovac contra a covid, por volta das 12h30.

Em âmbito corporativo, o conselho de administração da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) aprovou a venda de todas as 68.621.264 ações ordinárias que possui na Light numa oferta pública que será concluída até o final deste mês. A operação deve render cerca de R$ 1,6 bilhão à Cemig, tomando como base o preço de fechamento dos papéis da Light na quarta-feira.

A Eletrobras informou que a geradora eólica Ventos de Angelim incorporou e extinguiu as sete Sociedades de Propósito Específico (SPEs) que formavam os complexos eólicos Acaraú, no Ceará, e Famosa III, no Rio Grande do Norte. Por meio da companhia Brasil Ventos Energia, que é subsidiária integral de sua controlada Furnas, a estatal tem participação de 90% na Ventos de Angelim. A operação está alinhada ao escopo de racionalização das participações societárias definido no plano 2021-2025, disse a companhia.

A BRF informou que a assembleia geral ordinária de acionistas da companhia está prevista para o dia 27 de abril.

A MRV concluiu a venda do empreendimento Deering Groves, em Miami, nos Estados Unidos, no último dia 30 de dezembro, pelo Valor Geral de Venda (VGV) de US$ 57 milhões.

A Klabin precificou em US$ 500 milhões, através de sua subsidiária integral Klabin Austria, a emissão de títulos sênior, associada ao desempenho de indicadores de performance em sustentabilidade, nos Estados Unidos, com cupom e yield de 3,20% ao ano (a.a.), juros semestrais e vencimento em 6 de janeiro de 2031. Os recursos captados servirão para a recompra antecipada das Notes 2024, através de oferta de aquisição a ser realizada pela subsidiária Klabin Finance, em Luxemburgo, com cupom de 5.250% a.a., valor principal em circulação de US$ 271,5 milhões e vencimento em julho de 2024, e para a realização de objetivos gerais da companhia.