RADAR DO DIA: Semana será marcada por desdobramentos do coronavírus

258

São Paulo – A semana que passou para o mercado brasileiro foi marcada pelo sexto circuit breaker desde o recrudescimento da pandemia, se igualando ao número de vezes em que o mecanismo foi acionado durante a crise financeira mundial de 2008. Esta semana, porém, não deve ser diferente e seguirá de olho nos novos desdobramentos relacionados ao Covid-19, nome do novo coronavírus.

Além disso, governos e Bancos Centrais (BCs) mundo afora devem continuar o movimento visto na semana passada de injeção de estímulos nas economias em meio à crise global desencadeada pelo coronavírus.

Para esta semana, a agenda de indicadores tem dados do comércio, serviços e de atividade no Brasil, além de dados dos Estados Unidos Ásia e Europa. Alguns dados, por exemplo, já devem trazer impactos do coronavírus na economia europeia e asiática.

O Comitê de Política Monetária (Copom) antecipou a divulgação da ata da reunião da semana passada, que cortou a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual (pp), para 3,75% ao ano, para esta segunda-feira. Para o grupo, o coronavírus deixa um ambiente desafiador para mercados emergentes.

Às 9h, o presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, dará uma entrevista coletiva podendo anunciar novas medidas para a economia.

O avanço do coronavírus pelo mundo tem gerado grande preocupação e levado os investidores a um sentimento de cautela que tem impactado fortemente os mercados.

Por aqui, o Ibovespa encerrou a sessão de sexta-feira (20) em queda de 1,84%, aos 67.069,36 pontos, refletindo as falas do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre a curva do contágio de coronavírus no Brasil e a possibilidade de colapso do sistema de saúde em abril, além de acompanhar o aumento das perdas das Bolsas norte-americanas.

Nesta manhã, os contratos futuros dos principais índice do mercado de ações dos Estados Unidos operam em queda após o Senado não aprovar o pacote estímulo econômico, podendo votá-lo novamente hoje. Os mercados europeus também caem de olho no avanço do novo coronavírus e decisão do Senado norte-americano.

Na Ásia, os principais índices do mercado de ações asiático fecharam o pregão em baixa na esteira da decisão do Senado dos Estados Unidos de não votar a favor do plano de estímulo de novos desdobramentos do coronavírus.

Além disso, os investidores continuam de olho na crise do preço do petróleo, após a Arábia Saudita aumentar a produção e reduzir os preços praticados pela estatal Saudi Aramco depois do fracasso nas negociações entre a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e países aliados para uma redução coordenada da oferta da commodity. A iniciativa está relacionada ao impacto econômico do coronavírus.

CORPORATIVO

A Vale informou que foram confirmados os primeiros dois casos de funcionários com o Covid-19, nome do novo coronavírus, em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, na última sexta-feira (20).

A empresa disse que comunicou os dois casos às autoridades e presta toda a assistência necessária aos empregados, que passam bem e estão em isolamento domiciliar.

O conselho de administração da Hypera aprovou a celebração de empréstimo bancário com o Santander Brasil no valor de R$ 500 milhões. Recentemente a empresa fez uma aquisição de medicamentos da Takeda e os recursos devem ser usados para a operação ou para reforçar o caixa.

A Renova Energia, subsidiária da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), disse que o conselho de administração aprovou a oferta vinculante da ARC Capital para o Complexo Eólico Alto Sertão III, localizado na Bahia. O valor não foi divulgado.

A Eletrobras afirmou que alterou a data de divulgação do balanço de 2019 de 25 para 27 de março, em função da disseminação do Covid-19, nome do novo coronavírus, uma vez que a empresa consolida resultados de oito controladas, 25 coligadas e 136 Sociedades de Propósito Específico (SPEs).

A Braskem disse que criou o comitê de crise diante da pandemia do Covid-19, nome do novo coronavírus, com o objetivo de estabelecer procedimentos globais com foco principalmente na saúde das pessoas e na continuidade das suas operações.

A Via Varejo informou que diante da disseminação da pandemia do Covid-19, nome do novo coronavírus, decidiu por fechar todas as lojas Casas Bahia e Ponto Frio no Brasil, incluindo as lojas de rua como em shoppings e afins.

A Companhia de Concessões Rodoviárias (CCR) afirmou que divulgará semanalmente e de forma agregada por divisão informações sobre a movimentação nas concessões sob sua gestão, diante dos impactos de curto prazo relacionados ao Covid-19, novo do novo coronavírus.

A Vale informou que comprou 5 milhões de kits de testes rápidos para o Codiv-19, nome do novo coronavírus, para ajudar o governo brasileiro no combate à disseminação da doença no país. Os testes, que permitem ter um resultado em apenas 15 minutos, foram comprados na China.

A Embraer decidiu colocar todos os seus funcionários que não podem desempenhar suas atividades remotamente em afastamento temporário remunerado até o dia 31 de março. Segundo a companhia, a medida visa a saúde e o bem-estar de seus funcionários.

A Hapvida disse que diante das circunstâncias relacionadas ao Covid-19, nome do novo coronavírus, adiou a reunião do conselho de administração que deliberaria sobre as demonstrações financeiras de 2019 de 23 para 25 de março e a consequente divulgação do resultado para o mesmo dia.